Posts recentes

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

O William Bonner que conheci, num evento do Banco Nacional que dirigi

O ano era 1994. Como acontecia todos os anos, desde que a nova direção assumiu o Banco Nacional, foi lançada uma nova campanha interna de incentivo.

O tema era "Campeão Nacional", e tinha como símbolo nada mais nada menos que Ayrton Senna, o supercampeão que era patrocinado pelo banco.

No entanto, a campanha começou do pior e inesperado jeito possível. Um evento via rede, transmitido desde a TV E do Rio de Janeiro, daria o pontapé inicial na campanha, e estava marcado para a segunda-feira posterior à corrida de Ímola, na Itália, que Ayrton contava vencer, mas que, infelizmente para todos os que o tínhamos como ídolo, foi palco de sua última e trágica corrida.

Sobre como foi a transmissão da campanha na segunda-feira conto outro dia, em que vou falar do milagre que um gênio da comunicação conseguiu fazer. O nome desse gênio é Osmar Santos. Mas esta postagem é sobre William Bonner, que ainda nem entrou nela.

Vamos então dar um salto na história, do início para o fim da campanha de incentivo, do início para o final do ano, e assim introduzir Bonner.

Mesmo com o gravíssimo problema inicial - a morte de Senna, símbolo da campanha - o mundo girou, a Lusitana rodou, e chegamos ao final da campanha, quando se faz o feedback necessário e se prepara a equipe para o outro ano.

O Nacional me chamou para criar um evento que seria repicado por todo o Brasil. Deveria obrigatoriamente ter uma dupla de apresentadores, um homem e uma mulher.

Bolei a apresentação, fiz os textos, tudo aprovado, eles determinaram que eu deveria estar presente em uma e que dirigiria as outras via telefone.

A apresentação que me foi escalada aconteceria em São Paulo, numa boate de que não me recordo o nome. A dupla de apresentadores era: William Bonner e Maitê Proença.

Mas se você acha que vida de escritor é uma moleza, vou acrescentar um detalhe a esta história que vai mostrar o William Bonner que conheci.

Um dia antes do evento, que, como disse, se espalhava pelo Brasil inteiro, com mais de um evento simultâneo em cidades como Rio, SP e Belo Horizonte, me foi encomendado um vídeo "poético" sobre Ayrton. A produtora responsável faria uma cobertura de imagens sobre meu texto.

Mandei o texto. Aprovado. A produtora virou a noite cobrindo com imagens.

No dia da festa, a orientação era no sentido de que os homens dos casais de apresentadores lessem o texto.

Aí, voltamos a William Bonner. Quando eu o informei do texto, ele me disse delicadamente que não iria fazer. Aquilo não estava no contrato, e ele ainda estava muito ligado emocionalmente à morte de Senna, cujo enterro narrou ao vivo.

Era um pepino que eu não tinha como resolver. E que não aconteceu em nenhum dos mais de 20 locais em que o evento se realizava simultaneamente.

Eu me dirigi ao representante do endomarketing do banco que estava presente e expus o problema a ele. Ele me perguntou o que eu achava. Disse a verdade: pela minha experiência, tudo poderia ser resolvido por um plus no cachê.

Resumindo: William Bonner leu o texto que disse que não leria.

Juro que não sei o que o representante do Nacional e Bonner conversaram. O que me interessava era entregar o produto de meu trabalho. E tanto William Bonner como Maitê Proença foram perfeitos.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Anderson Silva, Cesar Cielo. Por que a diferença? Racismo? Preconceito contra MMA? Ambos?

O lutador de MMA Anderson Silva é o Pelé desse esporte. O melhor lutador peso por peso. Um craque que colocou seu título em jogo por 10 vezes, sem perder.

Com fãs pelo mundo, Anderson, o Spider, como ficou conhecido, parecia imbatível. Até que perdeu. Não uma, mas duas Hu vezes para um mesmo lutador, o americano Chris Weidman, 11 anos mais novo que ele.

Em toda a sua carreira, Anderson Silva jamais testou positivo em um exame antidoping.

No entanto, há um mês, os fãs do Spider foram surpreendidos com um resultado positivo. Foram três testes seguidos aplicados no atleta, com uma distância em torno de 10 dias entre eles. Resultados : positivo, negativo, positivo.

O que diz Anderson? Em outras palavras, que as pessoas o estão condenando. Mas ainda estão rolando os dados. E que ele estaria investigando para ver o que pode ter acontecido.

Alguns atletas, mas especialmente os meios de comunicação e até as redes sociais, estão caindo de pau em cima de Anderson, alguns até fazendo comparação com o ciclista Lance Armstrong, cuja máscara caiu, e acabou por confessar que se dopara por toda a carreira.

Mas um outro de nossos campeões, o medalhista de ouro olímpico César Cielo também foi pego em um exame antidoping, e as reações não foram as mesmas.

Será por que Cielo é branco e Anderson, negro? Ou o preconceito é contra o esporte, já que muita gente acha que o MMA não o é? Ou pela soma?

Para quem não se lembra, Cielo conseguiu se safar com a desculpa de que um suplemento que tomara estava contaminado, desde o laboratório. O laboratório negou. Mas ainda assim Cielo não foi punido, o que gerou discussão entre atletas.

Por que não se pode aguardar para ver o que pode ter acontecido, mas, ao contrário, condena-se e há quem chegue ao absurdo de achar que o Spider "é uma invenção da Globo"?

Quanto aos que têm preconceito contra o MMA e acham que a natação olímpica é um esporte limpo, bom, esses não viram as nadadoras da antiga Alemanha Oriental...

Voltando ao Spider. Quando ele perdeu a primeira luta e o título para Weidman, houve quem o ridicularizasse, achando que ele havia menosprezado o adversário.

Coisa de quem talvez estivesse assistindo a uma luta dele pela primeira vez. As provocações sempre fizeram parte do repertório do Spider, que utiliza do recurso para "entrar na mente" do adversário.

O próprio Weidman confirmou que estava caindo no jogo. Mas um golpe de corpo mal jogado pelo campeão (talvez não tenha treinado com alguém com a envergadura dele - a mesma de Anderson, 1,98m) o jogou na lona, nocauteado.

Fato é que um campeão tem uma grande equipe, que inclui treinadores, sparrings de diversas lutas, nutricionistas, preparadores físicos etc.

E, como no caso de Cielo, laboratórios que produzem suplementos. Por que não aguardar o desenrolar de tudo e acusar e condenar um super campeão que fora do octógono é pai de cinco filhos, que também são atingidos por toda essa baixaria?

Será que um lutador experiente, que já tem seu nome na história, arriscaria tudo se dopando na semana da luta sabendo que seria, como todos os atletas, submetido ao exame antidoping?

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Presidenta Dilma age como personagem de Nelson Rodrigues que atravessa a rua para pisar na casca de banana na outra calçada

Parece incrível, mas em vez de enfrentar a grave crise pela qual estamos passando, em grande parte por inação da presidenta, o governo brasileiro resolve não aceitar receber as credenciais do novo embaixador indicado pela Indonésia ao Brasil.

Não se disse o motivo, mas certamente tem a ver com a execução de um traficante brasileiro naquele país e a provável execução de outro.

No Brasil não temos pena de morte, embora tenhamos muitos brasileiros favoráveis a ela.

Sou contrário. Talvez abrisse um precedente a traidores do país, gente que vende nossas riquezas a preço de banana e ainda fica deitando falação. Vocês sabem a quem me refiro.

Mas voltando ao assunto da postagem. Os traficantes conheciam a lei da Indonésia referente ao tráfico de drogas.

Certamente precificavam esse risco. Deram azar, foram presos. Um já foi executado. O outro provavelmente também o será.

A verdade é que quando se joga roleta russa não vale reclamar quando a bala lhe estoura os miolos.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Não é 'a midia' quem está censurando a lista do HSBC. É Fernando Rodrigues, que a recebeu do ICIJ

Agora virou moda no jornalismo velhaco a utilização de metáforas, metonímias, eufemismos para se ocultar a "coisa em si", ou seja, a notícia. Pior é que isso se alastra pela blogosfera e redes sociais.

A falta d'água em São Paulo virou crise hídrica.

A retenção dos nomes da lista dos correntistas do HSBC pelo jornalista Fernando Rodrigues virou coisa do Uol ou da Folha.

Ora, a lista foi dada ao jornalista. E só a ele, embora outros jornalistas brasileiros façam parte da associação.

Se ele retém a lista porque tem o rabo preso ou fixação na fase anal (curtindo o prazer de reter ou não as fezes / informações), não se pode diluir o problema passando-o para antigos ou novos patrões.

O material foi entregue a ele. Se ele não divulga as informações e prefere agir como um menino no penico, o problema é dele.

Fernando Rodrigues é quem deve ser cobrado.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Se as escolas de samba não abrirem os olhos a Globo acaba com elas como está fazendo com o futebol brasileiro

Qualquer um que conheça o mínimo da história dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro sabe da importância de Fernando Pamplona.

Pois a São Clemente saiu com um enredo em homenagem a ele, sob a batuta de outra das grandes personagens dos desfiles, Rosa Magalhães.

E o que faz a Rede Globo, que detém a exclusividade da transmissão?

Ignora.

A emissora que detém o direito exclusivo da transmissão nos privou de ver ao vivo essa homenagem a Pamplona. Passou novela e bbb.

Aliás, mesmo os desfiles que transmitiu a Globo não nos deixou assistir, com uma edição que não leva em conta a ordem das alas, com entrevistas com subcelebridades, com repórteres no meio das alas atrapalhando a evolução e o conjunto, privilegiando turistas que desfilam para suas câmeras e têm seus cinco segundos de fama...

É um espetáculo para ser empacotado, com globeleza, rainhas de bateria e alegorias com LED.

Sei não, mas as escolas devem "repensar a relação" com a Globo, ou ela pode matar o desfile como vem fazendo com o futebol brasileiro ...

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Graça Foster e Petrobras ganham 'Oscar' do petróleo e empresa passa a ser a maior do mundo. Resultado: - Fora, Graça!

Contando fora do contexto da mídia, que quer privatizar a Petrobras, ninguém acredita. Mas a sequência é exatamente esta:

1. Graça Foster, que nasceu num morro do Rio, começou a vida como catadora de papel, tornou-se engenheira, entrou na Petrobras como estagiária e depois de 35 anos chegou à presidência, recebe o prêmio máximo da Sociedade Mundial dos Engenheiros de Petróleo (Society of Petroleum Engineers – SPE), o Distinguished Lifetime Achievement Award 2014. Pela primeira vez um brasileiro leva o prêmio.

2. A Petrobras dirigida por Graça Foster ganha o maior prêmio da indústria de petróleo e gás offshore mundial.

3. A Petrobras dirigida por Graça Foster torna-se maior produtora de petróleo do mundo entre empresas de capital aberto.

Logo, pela lógica entreguista e antipatriótica da mídia corporativa e de nossas elites, pedem a cabeça de Graça Foster.

Conseguem.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Por que dinheiro para diretor da Petrobras é corrupção e BV da Globo não?

Empreiteira concorre a uma licitação da Petrobras. Ganha. Petrobras paga a ela. Empreiteira pega parte do dinheiro e dá a um diretor da Petrobras. Isso é corrupção.

Agora. Petrobras anuncia em veículos das Organizações Globo. Só para a Fórmula 1 neste ano de 2015 a cota é de 75 milhões de reais. Petrobras paga. A Globo pega um percentual desse dinheiro (que em alguns casos pode chegar a 20%)  e dá para a agência que colocou o anúncio no seu veículo. É o chamado BV, Bônus por Volume. Por que isso não é corrupção?

Com esse jabá institucionalizado a Globo induz as agências a anunciarem em seus veículos.

Por isso é que embora a audiência de sua TV despenque o faturamento aumenta.

Por que isso não é corrupção?

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Novo ministro de Dilma: 'governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional'

O artigo a seguir é de Roberto Mangabeira Unger que acaba de ser nomeado para a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Foi publicado na Folha em 15 de novembro de 2005.

Ele pode ser um gênio, que mal se comunica em português, mas  escrever estas palavras sobre Lula é jogar no time da direita, o que mostra que a "visão estratégica" dele é no mínimo estrábica.

**********
Afirmo que o governo Lula é o mais corrupto de nossa história nacional . Corrupção tanto mais nefasta por servir à compra de congressistas, à politização da Polícia Federal e das agências reguladoras, ao achincalhamento dos partidos políticos e à tentativa de dobrar qualquer instituição do Estado capaz de se contrapor a seus desmandos. Afirmo ser obrigação do Congresso Nacional declarar prontamente o impedimento do presidente. As provas acumuladas de seu envolvimento em crimes de responsabilidade podem ainda não bastar para assegurar sua condenação em juízo. Já são, porém, mais do que suficientes para atender ao critério constitucional do impedimento. Desde o primeiro dia de seu mandato o presidente desrespeitou as instituições republicanas. Imiscuiu-se, e deixou que seus mais próximos se imiscuíssem, em disputas e negócios privados. E comandou, com um olho fechado e outro aberto, um aparato político que trocou dinheiro por poder e poder por dinheiro e que depois tentou comprar, com a liberação de recursos orçamentários, apoio para interromper a investigação de seus abusos. Afirmo que a aproximação do fim de seu mandato não é motivo para deixar de declarar o impedimento do presidente, dados a gravidade dos crimes de responsabilidade que ele cometeu e o perigo de que a repetição desses crimes contamine a eleição vindoura. Quem diz que só aos eleitores cabe julgar não compreende as premissas do presidencialismo e não leva a Constituição a sério. Afirmo que descumpririam seu juramento constitucional e demonstrariam deslealdade para com a República os mandatários que, em nome de lealdade ao presidente, deixassem de exigir seu impedimento. No regime republicano a lealdade às leis se sobrepõe à lealdade aos homens. Afirmo que o governo Lula fraudou a vontade dos brasileiros ao radicalizar o projeto que foi eleito para substituir, ameaçando a democracia com o veneno do cinismo. Ao transformar o Brasil no país continental em desenvolvimento que menos cresce, esse projeto impôs mediocridade aos que querem pujança. Afirmo que o presidente, avesso ao trabalho e ao estudo, desatento aos negócios do Estado, fugidio de tudo o que lhe traga dificuldade ou dissabor e orgulhoso de sua própria ignorância, mostrou-se inapto para o cargo sagrado que o povo brasileiro lhe confiou. Afirmo que a oposição praticada pelo PSDB é impostura. Acumpliciados nos mesmos crimes e aderentes ao mesmo projeto, o PT e o PSDB são hoje as duas cabeças do mesmo monstro que sufoca o Brasil. As duas cabeças precisam ser esmagadas juntas. Afirmo que as bases sociais do governo Lula são os rentistas, a quem se transferem os recursos pilhados do trabalho e da produção, e os desesperados, de quem se aproveitam, cruelmente, a subjugação econômica e a desinformação política. E que seu inimigo principal são as classes médias, de cuja capacidade para esclarecer a massa popular depende, mais do que nunca, o futuro da República. Afirmo que a repetição perseverante dessas verdades em todo o país acabará por acender, nos corações dos brasileiros, uma chama que reduzirá a cinzas um sistema que hoje se julga intocável e perpétuo. Afirmo que, nesse 15 de novembro, o dever de todos os cidadãos é negar o direito de presidir as comemorações da proclamação da República aos que corromperam e esvaziaram as instituições republicanas.

**********

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Eduardo Cunha é fantasminha de lençol. Sabe podres dos outros, mas esses sabem os dele. É balança mas não cai

Ando meio nostálgico. O que já fica claro no título. Mas não posso ver tanta gente inteligente dando ao novo presidente da Câmara Eduardo Cunha um poder que ele não tem.

Alguém acha que Cunha vai fazer e acontecer? Que vai derrubar Dilma, recém e democraticamente eleita, no maior país da América Latina, um dos seis mais poderosos do mundo, o B do BRICS, apenas porque está na presidência da Câmara?

Ora, já estiveram nesse cargo incompetências e jogadores como Severino Cavalcante e Aécio Neves.

O Congresso, embora em grande parte reaça, corporativo e corrupto é a praça da democracia, por mais que esteja suja, esburacada, com os bancos quebrados.

Boa parte quer o bem do país. Outra, os bens. Mas que Eduardo Cunha não tente confundir uns com outros. Ou cai antes tão estrondosamente quanto se elegeu.

No Executivo há espaço para soluções dramáticas - um tiro no peito, uma renúncia depois de um porre.

No Congresso não. Ali é o lugar da negociação. Não tanto ao mar nem tanto à terra.

O caos não interessa a ninguém. Políticos recém eleitos ou reeleitos vão cobrar do governo Dilma a derrota fragorosa. Mas só quem pode derrubar a presidenta é a própria Dilma.

Como venho repetindo desde a reeleição: Quem se cerca de CardoZzzzzo e Mercadante vai colher merda adiante.

A eleição de Cunha, mais do que um suposto poder dele, mostra a insatisfação que existe em relação ao comportamento político da presidenta, que já passou dos adversários para recentes e antigos apoiadores.

Mas convém não confundir o orifício central com seu entorno. Ou, em menos letras, C com B.