quarta-feira, 16 de abril de 2008

Papa Bento XVI versus cardeal Ratzinger


Graças a Deus, sou ateu. Já disse isso aqui. Mas respeito – como não poderia deixar de ser – o sentimento religioso das pessoas. O que muitas vezes não ocorre com alguns religiosos, que só defendem sua igreja e queimam, muitas vezes literalmente, as demais.
Recentemente, tivemos a notícia de que as igrejas Católica e Protestante teriam utilizado trabalho escravo, durante a II Guerra Mundial. Foi tratada como uma notícia qualquer por nossa “grande imprensa”. Imaginem se o denunciado fosse o bispo Macedo...
Vida que segue, e o jornal O Globo mostra hoje um sorridente papa Bento XVI, em sua chegada ontem aos EUA. Anteriormente, ainda no avião, o papa dera uma entrevista aos jornalistas que o acompanhavam em comitiva, e fez questão de tocar no controvertido problema da pedofilia na igreja Católica:
- Nós vamos, definitivamente, excluir os pedófilos da missão sagrada. É mais importante ter bons sacerdotes do que muitos sacerdotes. Esperamos poder fazer, e faremos todo o possível, no futuro, para curar essa ferida - prometeu o Papa.
É bom lembrar que, só nos EUA, a igreja comandada pelo papa já teve que desembolsar mais de US$ 2 bilhões para cinco mil casos de abusos sexuais. Não há engano nos números, são cinco mil casos e dois bilhões de dólares mesmo, para livrar da cadeia padres pedófilos. Dinheiro de quem? Dos fiéis. Será que eles apóiam essa utilização de suas contribuições para a “Santa Madre Igreja”?
Mas o curioso é ver que o papa mudou a estratégia da igreja Católica, batendo de frente com a anterior, que sempre fora defendida por um certo cardeal Ratzinger – ninguém mais ninguém menos que o papa antes de ser consagrado.
Ratzinger (o papa Bento XVI, para quem ainda não caiu a ficha) acobertou durante vários anos os crimes dos padres pedófilos, ameaçando com excomunhão quem denunciasse os padres criminosos, brandindo um documento – chamado Crimen Sollicitationis - assinado por ele. O documento dizia que se você fosse molestado por um padre, poderia se queixar ao bispo, ao cardeal, ao papa, mas, se denunciasse o caso à Justiça, babau, seria excomungado.
Agora, o papa contradiz Ratzinger e reconhece para o mundo a pedofilia no seio da igreja. Pedofilia que foi muito bem documentada numa produção da BBC, chamada Sexo, Crimes e Vaticano. Assista-a.



imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Anônimo16.4.08

    É curioso como um "Santo Homem" pode ter um bom relacionamento com um terrorista alcoólatra (o assassino Bush)... será que o "Santo Homem" ensinará o terrorista a perdoar quem não se ajoelha perante o Império do IV Reich?

    ResponderExcluir
  2. até que enfim os americanos também vão beijar o anel do papa.

    ResponderExcluir
  3. Sua blogada foi citada no Global Voices.

    Acho também o tema um bocado preocupante, e fico impressionado com o poder da Igreja em desviar a atenção, ou insensibilizar, seus fiéis a estas gravíssimas questões.

    Isso me lembra dos casos mexicanos, onde o próprio bispo afirmava que "as famílias perdoavam por amor à Igreja".

    ResponderExcluir
  4. Anônimo18.4.08

    "Graças a Deus sou ateu?",Não entendi.Ah,é uma ironia?

    ResponderExcluir
  5. Carissimo Mello. O video não abre. Será um problema localizado ou já houve outras reclamações?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato Edu, coloquei outro link.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...