quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O advogado dantesco e os R$ 25 mi do Opportunity


Numa postagem do Nassif de ontem (que indiquei no meu Box de leituras do dia aí ao lado) um leitor respondeu a um questionamento do jornalista sobre o principal advogado de Dantas (e também dos bicheiros Castor de Andrade e capitão Guimarães, e agora da Casa & Vídeo), Nélio Machado, levantando uma lebre – mais que uma lebre, um lebrão. Veja só (o grifo é meu):

Por Carlos Graça Aranha

Nassif:
"...Pergunto: é eficiente [Nélio Machado]? Evidente que não foi. Mas seria relevante que prestasse contas sobre a forma como utilizou o dinheiro recebido do Opportunity a título de honorários [R$ 25 milhões]."

Eu pergunto: RECEBEU? Ou foi mero ajuste para assegurar àqueles valores liberdade de ação? Sabe-se que tal prática no meio dos causídicos é comum, mas seria uma grande leviandade imaginarmos que este grande representante do mundo jurídico compactuaria com este crime.

Agora, é fácil apurar este crime, quer ver? Alguém faz este tipo de denúncia à polícia ou ao MP, ou seja, indica que um determinado advogado recebeu honorários milionários, em muito díspares do trabalho que exercerá. Vê-se que seu cliente terá ou teve contas e bens bloqueados. O denunciante tece ilações de que o advogado cometeu tal ato para assegurar a "liberdade" dos valores pecuniários, liberdade esta que encontrará guarida na justiça, pois assim determina a lei. Poderá o causídico até transformar o recibo dos honorários em título a ser executado, em vara cível comum ou em vara de falência, se for o caso. Fácil, muito fácil. Instaurado o inquérito solicita-se a quebra de sigilo bancário do advogado e/ou sua eventual empresa advocatícia. Veremos rapidamente que 25 milhões, por exemplo, não foram aportados nas contas. Viu como é fácil. E o local para denunciar é a praça onde atua o causídico...certo? Certinho?

E aí? Será que a dúvida levantada pelo Graça Aranha procede e na verdade o anúncio dos honorários de R$ 25 milhões foram uma forma de Dantas manter essa grana liberada para fazer pagamentos necessários, inclusive a jornalistas - como denuncia inquérito de Protógenes?

Clique aqui para ler as notícias de hoje do Blog do Mello

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Anônimo3.12.08

    Luiz Eduardo Greenhalgh e Gilberto Carvalho, advogangsters da FEBRABAN
    Por deu no jornal 03/12/2008 às 13:32

    "Tem um delegado chamado Protógenes Queiroz, que parece que é um cara meio descontrolado, viu?" Luiz Eduardo Greenhalgh, enquanto repassava informações sigilosas em defesa de banqueiros. Ontem defendendo Sem Terra de graça, hoje na folha de pagamento da FEBRABAN.

    HUGO CHICARONI - Hoje ele é o braço direito do Daniel.
    DELEGADO - Ele é de confiança mesmo?
    HUGO CHICARONI - Pode ficar sossegado.
    HUGO CHICARONI - A historia de só livrar três tá bom, ta ótimo.
    DELEGADO - Isso é importante, porque quanto menos puder...
    DELEGADO - Precisa saber exatamente o quê que é.
    DELEGADO - Não dá pra fazer milagre.
    HUGO CHICARONI - São as pessoas que trabalham com ele, até onde eu sei, é o Daniel, a irmã e o filho.
    HUGO CHICARONI - Ele se preocupa com hoje, com hoje. Lá pra cima, o que vai acontecer, lá ele não tá nem ai, porque ele resolve.
    DELEGADO - Tá tudo controlado.
    HUGO CHICARONI - Ele resolve. STJ, STF...ele resolve. O cara tem trânsito político ferrado.
    HUGO CHICARONI - Ele (Humberto) falou: eu tenho 500 mil dólares para tratar desse assunto.
    DELEGADO - 500 mil?
    HUGO CHICARONI - É. 500 mil dólares.
    HUGO CHICARONI - Tá na mao.
    DELEGADO - Então tá certo. Não vamos nem conferir.
    HUGO CHICARONI - Não. Eu não conferi. Esses pacotinhos ele me entregou em sacos de supermercado.
    HUGO CHICARONI - Eu só pus dentro de uma outra sacola e botei aqui.
    DELEGADO - Quantos pacotes têm?
    HUGO CHICARONI - São cinquenta...dá dez pacotes.
    DELEGADO - Pode ver com calma que eu não vou deixar com vocês esses documentos.
    DELEGADO - Tem sonegação, tem lavagem, tem evasão de divisa, tem outros crimes contra o centro financeiro, gestão fraudulenta. São vários crimes, uma investigação dessas sempre começa pequena e cresce.
    HUGO CHICARONI - Já que ele já ofereceu 500 mil, pede um milhão de dólares. Pra ele chegar em 700, 800.
    DELEGADO - Isso é dólares também?
    HUGO CHICARONI - Não, não, não, isso é em reais.
    DELEGADO - tá.
    DANIEL DANTAS - Oi Naji, alô.
    NAJI NAHAS - Você anda sumido.
    DANIEL DANTAS - Você está no Brasil ou está fora?
    NAJI NAHAS - Não...estou em São Paulo.
    DANIEL DANTAS - Ah...tá...em São Paulo. Ah tá bom. Então, eu vou pedir pra te procurar aí, tá bom?
    NAJI NAHAS - Tá bom.
    GILBERTO CARVALHO - O general me deu o retorno agora. É o seguinte, não há nenhuma pessoa designada na presidência na Abin, com esse nome. A placa do carro não existe, é fria, tá. Eles aqui acham que a única alternativa é que tenha sido caso de falsificarem documento, eles não consideram possível que seja da Abin. Eu não falei com o Luiz Fernando, ainda, mas não tem jeito. A Policia Federal não usa a PM. Eles não se misturam de jeito nenhum, tá. Então, eu acho que o mais provável é que o cara tava armando mesmo alguma coisa. Mas com documento falso que também no Rio é muito comum, porque daqui não tem. Eu pedi, insisti, fiz com o máximo cuidado, tal.
    LUIZ EDUARDO GREENHALGH - Seria bom dar um toque no Luiz Fernando também, hein?
    GILBERTO CARVALHO - Eu vou dar, eu vou dar. Amanhã cedo eu tenho que falar com ele, vou levantar isso pra ele também.
    LUIZ EDUARDO GREENHALGH - Tá, tá bom. Tem um delegado chamado Protógenes Queiroz, que parece que é um cara meio descontrolado, viu?
    GILBERTO CARVALHO - Ah é?
    LUIZ EDUARDO GREENHALGH - É.
    GILBERTO CARVALHO - Ele tá onde, o Protógenes, agora?
    LUIZ EDUARDO GREENHALGH - Tá aí, aí em Brasília.GILBERTO CARVALHO - Ah, aqui em Brasília

    ===============



    Escutas telefônicas gravadas pela Polícia Federal divulgadas nesta segunda-feira pelo "Jornal Nacional", da TV Globo, detalham a suposta tentativa de suborno de enviados do banqueiro Daniel Dantas, do banco Opportunity, a um delegado federal.

    O objetivo seria retirar das investigações da PF sobre crimes financeiros o nome do banqueiro e de pessoas de sua família. De acordo com as escutas, o consultor Hugo Chicaroni e Humberto Braz, assessor de Dantas, foram flagrados em encontros e telefonemas oferecendo propina ao delegado.

    Suspeito de vazar informações sigilosas da operação para o ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP), Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Lula, negou ontem ter repassado dados ao petista. Mas confirmou ter conversado com ele, por telefone, no dia 28 de maio, para tratar sobre uma suposta ameaça que Humberto Braz estaria sofrendo.

    O trecho divulgado pelo jornal traz diálogos entre investigados na Operação Satiagraha, da Polícia Federal, que investiga a suposta prática dos crimes de lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, evasão de divisas, formação de quadrilha e tráfico de influência para a obtenção de informações privilegiadas em operações financeiras. A operação resultou na prisão de Daniel Dantas, do investidor Naji Nahas, do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e mais 14 pessoas.

    No último domingo, o único investigado que estava foragido, Humberto Braz, se entregou à polícia. Além de Braz, também continua preso Hugo Chicaroni.

    URL:: http://media.folha.uol.com.br/brasil/2008/07/15/noticiario-escuta_telefonica_jornal_nacional.mp3

    Raymundo Araujo Filho

    ResponderExcluir
  2. Anônimo3.12.08

    Entao tá, baseados na linha de raciocínio do post, é só colocar a PF ou o MP no rastro dos tais 25 milhoezinhos. Afinal, se é tao simples assim, 2 perguntas:
    1ro - Seria DD assim tao infantil (do ponto de vista jurídico e policial)'
    2ndo - Porq a PF e/ou o MP q já estao no caso, nao se deram conta de tal possibilidade?
    Well, q poícia é essa? De q é composto nosso MP?
    Inté,
    Murilo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.