quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O roubo de donativos em Santa Catarina e o seqüestro da realidade


As pessoas estão indignadas. Bom, mas isso é comum no Brasil, até aí morreu o Neves, como se dizia. No Brasil, as pessoas ficam indignadas num dia, no outro dia comentam as maldades da protagonista da novela, a barriga do Ronaldinho, mais uma separação da Adriane Galisteu, depois vem o novo casamento dela, e aí já é domingo, e é bom relaxar e não esquentar muito a cabeça, porque amanhã é segunda-feira, e aí, você sabe como é que é, né? Mas, tergiverso.

Dizia que as pessoas estão indignadas, e o motivo dessa indignação atual é o roubo de doações aos flagelados de Santa Catarina. Soldados e voluntários foram flagrados metendo a mão nos donativos enviados de todo o Brasil para os brasileiros daquele estado, que sofreram o diabo com as últimas enchentes.

Ô raça! Brasileiro é tudo safado! Não é o que se costuma dizer? Mas esse brasileiro – como o inferno sartreano – ó o outro. Postei aqui ainda outro dia a informação de que representantes dos moradores de Ipanema e Leblon se reuniram com o secretário da Ordem Pública (sic) para reivindicar ordem urbana: nada de mesas irregulares pelas calçadas, nem mendigos, carros estacionados em local proibido, nada de camelôs e comércio irregular. Ao final da reunião, famintos, todos foram forrar o estômago numa carrocinha de cachorro-quente irregular.

Pesquisa Ibope, do início de 2006, que comentei em “Pesquisa Ibope mostra brasileiros ao Brasil” (ainda vale a leitura), traça um retrato desse comportamento do brasileiro, no caso, comparando-o ao dos políticos (o nome da pesquisa era "Corrupção na Política: Eleitor Vítima ou Cúmplice"). Mas, os políticos são ladrões, não?

Os políticos são ladrões, os síndicos são ladrões, os donos das escolas de nossos filhos, os médicos, os advogados, juízes, todos ladrões - desde que não sejamos nenhum desses personagens, porque nós somos honestos, trabalhadores, solidários, só pensamos no bem-estar da comunidade.

Mas, se todos nos achamos ótimos, por que temos esse péssimo julgamento dos brasileiros? Afinal, os brasileiros não somos nós?

O que acontece é que vivemos alienados de nós mesmos. Temos a realidade seqüestrada pela mídia, que nos impõe o consumo como redenção e calmante. Desde o consumo de novelas, mesas redondas de futebol, colunas de fofoca, até o consumo de tranqüilizantes e antidepressivos.

Não se tem o saudável hábito de pensar criticamente a sociedade, a mídia (que agora nos inunda com os gatunos de Santa Catarina) e nosso papel na esquizofrenia geral.

Mas, não quero estragar seu dia, logo hoje que entramos na semana (de compras) do Natal.

Leia também:

» O seqüestro como arma de luta política

» Nem Civita lê a Veja

» No Brasil, a maioria é pautada pela minoria

» Opus Dei ataca com buldogues da imprensa

» O dia em que Kamel preferiu não testar hipóteses

» A luta pela manipulação das massas entre Globo e Record

Clique aqui para ler as notícias de hoje do Blog do Mello

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. emanuel cunha lima17.12.08

    Concordo quase que integralmente.
    A unica ressalva fica por conta da observação sobre a imprensa, que seria responsavel por nossa "anestesia".
    Essa explicação padece, a meu ver, do mesmo erro denunciado no artigo. Nosso velho ( e confortavel)hábito de ver o inferno apenas nos outros.
    Para o articulista o "outro" no caso é a midia que ultimamente transformou-se numa especie de "geni da vez" para muitos.
    Creio que a razão de sermos assim, tão individualistas, tão apartados dos temas que interessam o coletivo, tem raizes muito mais profundas e históricas, anteriores mesmo a existencia da "midia" nacional, por mais rudimentar que fosse...
    A verdade é que não viemos aqui para fazer uma nação. Esse sentimento, de construir algo em conjunto e para todos, é muito tênue entre nós. Estamos aqui, desde a colonização ( hoje menos, é verdade...) para "bamburrar", para fornicar com indias e as negrinhas e para por os pretos para trabalhar por nós. O apurado gasta-se na Corte. ( antes Lisboa, hoje Paris, Miami ou Dubai...)
    A imprensa ( "o outro") do articulista, é apenas mais um reflexo dessa deformação cultural historica.
    Mas, por incrivel que possa parecer, tenho esperança. Estamos melhorando. Lentamente. Mas estamos indo em frente.
    Tomara....

    ResponderExcluir
  2. malinegomes17.12.08

    http://olhoseternos.blogspot.com/2008/12/gilmar-mendes-nos-bastidores-do-roda.html

    Mello, um presente pra você.

    ResponderExcluir
  3. Benedito17.12.08

    É comum, nas festas e em outros eventos sociais, encontrar pessoas indignadas com a corrupção no país. Acho ótima essa indignação. Mas, como chato que sou, sempre pergunto: por acaso você já subornou um policial para não ser multado? já enganou o Imposto de Renda? a sua empresa paga todos os impostos corretamente? você emprega seus funcionários na CLT? já comprou produtos piratas? tirou carteirinha de estudante sem sê-lo só pra ter ingresso mais barato nas casas de espetáuculo? já subornou algum fiscal da Receita? já usou de forma abusiva a máquina de xeróx da empresa em que trabalha? já comprou ingresso de cambista? e por aí vai... os corruptos são sempre os outros!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...