quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Aviso Importante: Não alimente o PIG, seja a mídia


Seja em suas páginas de papel ou na internet, todo dia a mídia corporativa, a tal “grande imprensa”, os jornalões e vejas da vida lhe pedem alguma coisa: querem que você envie uma foto de um acontecimento que presenciou, que dê sua opinião em enquetes, que escreva, que denuncie. Ou seja, que os ajude na pauta ou na cobertura das notícias. Tudo isso de graça.
No entanto, eles não lhe oferecem nada de graça. Você tem que comprar o jornal ou a revista nas bancas ou assiná-los. Tem que pagar ao provedor para ter acesso ao conteúdo online. Se não for assim, eles só lhe oferecem notícia velha, como pão dormido, que na internet não serve nem para embrulhar peixe.
Então, por que colaborar com eles de graça, se lhe cobram por tudo? Se você gosta de notícias, seja a mídia. Crie seu blog (é de graça e é facílimo) e espalhe pela internet suas fotos, suas reportagens e opiniões sobre o que lhe motiva.
Não alimente o PIG, porque, além de utilizarem seu trabalho de graça (e com isso desvalorizarem o mercado dos jornalistas – perguntem aos fotógrafos profissionais sobre isso), eles ganham dinheiro com ele duas vezes: quando cobram pelo conteúdo que conseguiram de graça de você e quando revendem o material para outras agências nacionais e internacionais, sem lhe repassar uma migalhinha sequer.
Não acredita? Repare no que está escrito no contrato que o portal do Globo, por exemplo, pede que seja assinado pelo candidato ao que eles chamam de “Eu repórter”. Todos os que enviam fotos, vídeos ou matérias têm que assiná-lo.
Confira aqui (você já vai ter que fornecer um e-mail válido, pra começar) e depois leia a íntegra do “termo de compromisso”, que vou resumir a seguir.
Primeiro, definem o projeto:
"Eu-Repórter" é a seção de jornalismo participativo do site O Globo, através da qual os leitores interessados, após avaliação editorial, seguindo os critérios da Infoglobo, poderão ter textos, fotografias, ilustrações, áudios e vídeos, de sua autoria, e desde que tenham conteúdo noticioso, publicados no site e em veículos de imprensa da Infoglobo e/ou das demais empresas que compõem as chamadas Organizações Globo.
Aí vem a parte do leão (a deles), onde lhe informam o tamanho do direito que você está cedendo a eles, repito, de graça (os grifos são meus).
3. - Cessão de Direitos - Pelo presente termo, o colaborador devidamente identificado e cadastrado no endereço eletrônico www.oglobo.com.br transfere à Infoglobo, a título gratuito e por prazo indeterminado, os direitos sobre as obras artísticas, fotográficas, audiovisuais e literárias que tenha encaminhado para o Projeto "Eu-Repórter", autorizando a sua utilização e reprodução, total ou parcial, em qualquer mídia ou meio físico, visual ou sonoro, inclusive eletrônico, cabo, fibra ótica, satélite, ondas e quaisquer outros existentes ou que venham a existir [querem ganhar até sobre o que ainda não existe!], e compreendendo, exemplificativamente, as seguintes atividades: publicação, comunicação, reprodução, divulgação (inclusive em seus produtos e campanhas de propaganda e de publicidade), oferta a terceiros (inclusive pela internet), exposição, edição, reedição, emissão, transmissão, retransmissão, comercialização, distribuição, circulação, tradução para qualquer idioma (com ou sem legendas), realização de versões e derivações, restauração, revisão, atualização, adaptação, inclusão em produção audiovisual, radiodifusão sonora e visual, exibição audiovisual e por processo análogo, inclusão em base de dados, armazenamento em computador, microfilmagem e demais formas de armazenamento do gênero.
3.1. O colaborador cede e transfere à Infoglobo, em caráter exclusivo, definitivo, irrevogável, irretratável e sem qualquer ônus, todo e qualquer direito patrimonial de autor relativo ao material encaminhado ao Projeto "Eu-Repórter", para utilização em território nacional e no exterior, concordando com que a obra cuja titularidade declara deter seja utilizada em associação com outros textos, títulos, documentos, gráficos e demais materiais de propriedade da Infoglobo, sendo possível a alteração do formato de textos, por exemplo, desde que inalterado o conteúdo principal.
3.2. O colaborador concorda e aceita que, em decorrência da cessão de direitos patrimoniais em questão, a Infoglobo transmita a terceiros, do seu grupo econômico ou não, os direitos ora cedidos, por cessão ou concessão, total ou parcialmente, de forma gratuita ou onerosa, mas sempre para as finalidades constantes da cláusula 3 supra.
Agora vem a parte mais incrível do contrato. Repare só:
3.3. A exclusividade de que se investe a Infoglobo será oponível mesmo contra o próprio colaborador, que não poderá reproduzir a obra cedida ao Projeto "Eu-Repórter" por qualquer forma ou a qualquer título, notadamente publicá-las, fornecê-las e comercializá-las a terceiros, a não ser para fins particulares e de caráter não econômico.
Você perde até o direito de publicar aquilo que originalmente era seu, e que deixou de ser, e, portanto, você poderá ter até que pagar para ter acesso a ele.
Queria que advogados esclarecessem: se isso não é roubo, é o quê?
Não vale dizer que não é roubo porque o sujeito concorda com o contrato quando o assina. A maioria das pessoas não o lê, às vezes até por dificuldade de leitura, deficiência de educação escolar, e assina apenas para ter sua foto exibida no jornal ou no portal. Não seria, pelos menos, abuso da boa fé das pessoas?
Portanto, meu caro, use como lema aquele anúncio dos zoos: não alimente os animais, no caso, o PIG. Seja a mídia, ou então colabore com aqueles que distribuirão seu material da mesma forma que o receberam: gratuitamente e com o crédito de sua autoria.
Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail
imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Anônimo21.1.09

    PARABÉNS! à todos Blogueiros que repercutiram o Caso Veja Do Nassif, vocês são responsáveis Por essa HISTÓRICA vitória
    O afastamento do editor da Veja, caso venha se concretizar será uma vitória da Blogosfera sobre a maior revista do PIG.
    Gostaria de firmar a importância da repercussão em cadeia de um tema em diversos Blogs, esse fenômeno teria um poder enorme capaz de não só derrotar o PIG mas pressionar legitimamente as instituições à mudanças.
    Sugiro que depois de derrotar a Veja, uma rede de Blogueiros responsável carregue a bandeira do fim da vitaliciedade dos ministros do STF, estipulando um mandato de 10 à 15 anos, para não sermos obrigados a conviver com um GM/DD a vida toda por um ato de irresponsabilidade do FHC que o nomeou.
    Acredito que apenas uma movimentação da sociedade nesse sentido seria capaz de desfazer aquela panelinha do DD lá no STF e a volta à normalidade das instituições nacionais.
    Mello vc é um dos caras que tem moral pra participar desse movimento. Vcs Blogueiros jornalistas sabem quem pode entrar nessa .
    Espero que vc possa ajudar a por essa idéia na cabeça dos internautas
    Um grande Abraço desse que da uma passadinha aqui todos os dias
    Roberto Louzada

    ResponderExcluir
  2. Anônimo21.1.09

    Prezado Mello,
    É o canto do cisne da Globo e da mídia de péssima qualidade jornalística. Estão caçando a laço os otários que ainda restam por aí. Daqui a um tempo só será otário quem quiser. A informação de qualidade está acessível aos com internet. Dentro de um breve tempo veremos o fim dessa época jurássica de manipulação e monopólio da informação com terceiras e quartas intenções.
    Um abraço.
    Orlando.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo21.1.09

    Caro Mello
    A internet está fazendo hoje, o que Gutemberg fez em séculos passados, gera-se um novo mundo quando se rompe os monopólios. A grande mídia, hoje, luta para se manter intacta, coisa impossível, como a ICAR tentou se manter única, mas não deu certo.
    Saudações
    Avelino

    ResponderExcluir
  4. Nem seu se seu blogue é open source, mas vou copiar esta matéria em meu próprio blogue. É um alerta que vale a pena!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo21.1.09

    Tenho três soluções perfeitas para este problema:
    1 - A licença Creative Commons (http://www.creativecommons.org.br/), que lhe oferece uma maneire flexível de oferecer suas obras respeitando totalmente o direito autoral ;

    2 - Indymedia (http://brasil.indymedia.org/), grupo formado após a reunião de Seattle da OMC, quando o G7 daria o golpe para a dominação do mundo (http://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_de_Seattle);

    3 - Wikinews (http://pt.wikinews.org/), do mesmo pessoal da Wikipedia;

    Os dois últimos aceitam matérias com licença CC.

    ResponderExcluir
  6. Bravo, Mello. Isso é que é utilidade pública, deveria ser impresso e virar cartilha no Procon
    beijinhos
    Frô (com a roupa do blog da HP)

    ResponderExcluir
  7. Luciano Prado21.1.09

    Esse tipo de "jogada" é a cara dessa gente que desde as Capitanias Hereditárias escraviza o povo brasileiro sem sequer usar óleo de peroba. São uns “Vivaldinos”.
    Aproveitam-se da ingenuidade dos incautos, dos tolos. Mas o Brasil está mudando. As pessoas estão, aos poucos, reconhecendo a verdadeira face dos safados travestidos de ovelha.
    Parabéns ao Mello.
    Eu-repórter, só se for de mim mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Perfeito, Mello! GRANDE matéria! Vou transcrevê-la para o meu blog, com dedo duro para o seu. De passagem, vou disparar e-mail para toda minha lista. O Globo está conseguindo transformar o inadmissível em corriqueiro.

    Parabéns e forte abraço.

    Ruy.

    ResponderExcluir
  9. Assim fica dificel,postar alguma coisa neste Blog,recentemente,no ano de 2008,vc me ensinou a comentar no seu outro Blog,que para mim também era complicado,aprendi e agora este é mais complicado ainda tô tentando há quase um mez...

    ResponderExcluir
  10. Anônimo22.1.09

    Esse velho truqe, o tal do "vc participa" ou "decide" encarna na crasse mérdia. Adoramse verem em qlqr telinha - mesmo Der Göbbels. Temos mesmo é q criarmos 1 portal alternativo de jornalismo prá fazermos frente a trécos como o q termos - jornalismo de esgoto bem embalado.

    Inté,
    Murilo

    ResponderExcluir
  11. Pessoal,
    agradeço pelos comentários, mas isso é só o começo. Tem mais.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo25.1.09

    Vou repassar imediatamente para a minha lista, quero que todos espalhem essa denúncia logo. A Globo é nota 10 em trambique. Então a emissora do Plim-plim agora trouxe a sede da máfia pra cá?
    Mello, como dizia a minha avó, vivendo e aprendendo.
    E não podemos dizer que é estelionato pois o contrato é claro, o candidato ao prêmio Otário do Ano sabe com antecedência que: participou dançou.
    A quem chamar para prender esses assaltantes? Não vale responder que é a polícia.
    Kamel e sua gangue conseguiram superar-se.
    Que nojo!
    Jeane Born

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...