sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

A ideia de eliminar a Palestina de sua população nativa, dos árabes, surgiu como um conceito claro nos anos 1930


A afirmação é do historiador Ilan Pappe, que informa que a ideia foi de David Bem Gurion, que se tornou o primeiro primeiro-ministro de Israel.

A declaração de Pappe foi feita numa entrevista concedida por ele ao repórter Silio Boccanera, no programa Milênio, em maio do ano passado, e que reproduzo a seguir.

É um vídeo imperdível, que se você ainda não teve oportunidade de assistir, aproveite esta de agora.

Muito do que se discute nestes dias, desde o início do ataque de Israel a Gaza, tem sua origem e significado explicados com clareza por Pappe.



Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Realmente, imperdível. Vou divulgar.

    ResponderExcluir
  2. Ele tem um ótimo senso de realidade. Isso deveria passar na TV aberta, pena que é impossível pensar nisso com Ali Kamel no comando. Acho muito estranho um homem como ele deter tanto poder dentro da Globo.

    ResponderExcluir
  3. Vi o vídeo e é mesmo imperdível! Ele derruba um a um todos os falsos argumentos sionistas repetidos ad nauseam há décadas pela história oficial israelense. Assim como o célebre historiador, também acredito que a única solução possível é a criação de um estado binacional. Vi o vídeo e gravei! Parabéns Mello!

    ResponderExcluir
  4. Excelente essa entrevista com Ilan Pappe.
    É totalmete incompreensível que os israelenses promovam desde os anos 40 essa limpesa étnica contra um povo tão próximo, primo legítimo, de mesma raiz, logo após o holocausto em que os judeus foram as principais vítimas, numa ação bem semelhante. Para mim, a agressão de Israel ou dos Judeus contra os Palestinos difere bem pouco do Nazismo de Hitler. É puro terrorismo também. A essa altura não me surpreende tanto a opinião de alguns grupos, de que o ataque às torres gêmeas tenha partido de Israel, mas com o intuito da culpa cair sobre os árabes, lançando os USA e o mundo contra eles.
    Maria

    ResponderExcluir
  5. Anônimo17.1.09

    Éntrevista muito esclarecedora e até profética.
    Quero registrar aqui minha indignação contra o cinismo dos líderes israelenses ao desconsiderarem hoje as resoluções da ONU, a mesma organização que foi usada para para dar credibilidade ao mundo quando da criação do Estado de Israel. Assim como o historiador Ilan Pappe, custo a compreender porque um povo que sofreu o Holocausto age hoje com a mesma desumanidade dos nazistas contra os palestinos. O conceito de limpeza étnica é nazista! Por um estado binacional!

    ResponderExcluir
  6. Anônimo17.1.09

    Pela CNN que, ontem à noite, num famoso programa ao vivo de uma TV israelense, durante uma entrevista por telefone com um famoso médico palestino, Dr. Abul (?), por quem os israelenses sempre tiveram grande simpatia e admiração, houve um ataque israelense à sua equipe médica, que acabou sendo transmitida inesperadamente, e todo o desespero do Dr. Abul foi ao ar.

    Parece que houve um grande impacto na percepção do povo israelense.

    O ataque foi à sua casa e matou três de suas filhas.


    O âncora tenta consolar o médico dizendo que talvez o Exército israelense possa ajudá-lo. É incrível! O médico pergunta, aos prantos, quem deu a ordem que matou sua família e qual o motivo.


    http://www.jewlicious.com/2009/01/dr-ezzeldeen-abu-al-aish-loses-three-daughters-and-a-niece-in-gaza/

    ANA

    ResponderExcluir
  7. Ana,
    grato pelo seu comentário e sua dica. A partir dela fiz uma postagem:
    Médico palestino chora a morte das filhas na TV israelense

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...