terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Paula Oliveira na Suíça: últimas informações


A história da brasileira Paula Oliveira, que teria sido atacada por três neonazistas no último dia 9, em Zurique, na Suíça, está cada vez mais difícil de se sustentar. Pelo menos na parte que se refere ao abortamento dos gêmeos no suposto ataque.

Em entrevista à revista Época, uma amiga (muy amiga) de Paula há mais de três anos e que foi sua companheira de trabalho na multinacional dinamarquesa, onde Paula é funcionária na Suíça, afirma que ela “tinha deixado uma impressão de que inventava algumas coisas para chamar a atenção”. Chegou a afirmar que perdera o marido francês no acidente da TAM em Congonhas, o que se mostrou falso.

A muy amiga disse à reportagem que recebeu há alguns dias um e-mail da Paula em que esta informava da gravidez de gêmeos, enviando o exame em anexo. A Época reproduz o e-mail e a foto do ultrassom, junto com a informação, recebida da amiga, de que a foto é idêntica a uma outra facilmente alcançada através do Google Images.

Ficam as dúvidas: apenas a foto era falsa ou falsa é toda a história da gravidez? Se é assim, por que Paula continua internada num hospital, sem expectativa de alta, sangrando e expelindo coágulos há mais de cinco dias, segundo o pai afirma ao blog suíço Coisas da Suíça? Por que em O Globo de hoje há a afirmação do mesmo pai de que o sangramento é apenas menstruação? Se é apenas menstruação, por que ela está à base de morfina, sempre segundo o pai nessa reportagem em vídeo da Band?

De todas as questões a que me chama mais a atenção é o fato de ela afirmar que foi agredida por três neonazistas, que teriam retalhado seu corpo com as siglas do partido de direita, no poder na Suíça.

Se era para justificar o aborto (ou a falta de gravidez) bastava que ela dissesse que perdeu os gêmeos por abortamento natural, o que seria razoável, já que é portadora de uma doença - o lúpus - que pode causar esse tipo de problema. Por que os três homens e meter o partido do governo na história, o que só poderia lhe causar as complicações que está causando?

O pior para Paula Oliveira é que a investigação sobre o suposto crime é difícil. Na estação “as câmaras funcionam apenas como um circuito interno de TV e não gravam imagens”. A motivação da polícia suíça ficou clara quando os policiais que a atenderam fizeram pressão para que ela confessasse que estava mentindo e inventando tudo aquilo.

Como sabiam? É comum na Suíça pessoas se apresentarem à polícia com o corpo todo retalhado por automutilação?

Fica evidente também o vazamento seletivo da informação de que ela não estaria grávida no momento do suposto ataque, quando nenhuma outra declaração é feita, sob alegação de sigilo.

Há ainda o caso do psiquiatra espanhol, que afirmou na entrevista da Band linkada anteriormente, que Paula estava muito convicta em suas afirmações.

Pra finalizar: Hoje, O Globo, em sua primeira página, diz que o pai de Paula nega plano de fuga da Suíça e afirma que não sabe de onde partiu essa informação. Eu sei: do mesmo O Globo, que ontem afirmou, também na primeira página, Governo quer que advogada deixe Suíça, o que não foi confirmado pela família de Paula nem pelo governo brasileiro.

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

16 comentários:

  1. Como é que médicos confundem sangramento de menstruação com hemorragia? Só se ela está com alguma doença no útero e se assim for o diagnóstico é outro e o tratamento também. Que hsitória mal contada, credo!

    ResponderExcluir
  2. "A Cônsul tinha sotaque de nordestino” (Gerald Thomas)

    Acabo de ficar sabendo que é um crime se nomear um nordestino para um cargo tão alto, ainda mais na "civilizada" Europa.
    Como se vê, nordestino é odiado por carioca que é odiado por italiano que é odiado por alemão que é odiado por suiço.
    Quanto aos brasileiros, este povo tem o louvável mérito de, ele mesmo, se odiar,
    como demonstra GT neste lamentável texto


    Lamentável seu texto, ainda mais quando suas referências são gente do tipo Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi...
    To fora,
    Tudo bem que vc tenha um grande cu rriculo
    E daí?
    To fora


    1- se a Paula se automutilou sob plena consciência do seu ato, fez Body Art, por sinal uma belíssima obra. Parabéns Paula.

    2- se a Paula se automutilou sob um surto de psicose ou bordeline, isto também é arte, um grito a ser ouvido. Parabéns Paula.

    3- se Paula foi mutilada por nacionalistas, estamos diante de um crime a ser condenado, a xenofobia não se justificada na "civilizada" Europa.

    http://josecarloslima74.blogspot.com/2009/02/corvos-suicos-bicam-brasileira-mutilada.html

    Pior do que jornalista defendendo o Brasil é jornalista fazendo de tudo para trazer de volta FHC, uma lástima!


    www.josecarloslima.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Mello, o lupus é uma doença bem complicada. Sei por relatos do caso de um parente de uma amiga de minha irmã. O tratamento da polícia suíça e da mídia para o caso beira a infâmia.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo17.2.09

    cadê o namorado dessa menina, que todo mundo fala que tem, mas nunca aparece?

    ResponderExcluir
  5. Pedro P. Tardelli17.2.09

    Caramba! So ouvimos o posicionamento dos pais (e a suposiçao da amiga) e a policia suiça. Antes da questao policial e politica que envolvem todo esse misterio, o abortamento espontaneo e um ATO MEDICO: onde esta o obstetra que fazia o suposto pre-natal da mesma? E o plantonista e/ou obstetra que a atendeu no dia do suposto ataque neonazista? E o medico que a acompanha no internamento no momento? Que venha a verdade imediatamente para que tudo volte ao normal. Tem muita gente boa emitindo opinioes serias, mas bem arriscadas.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo17.2.09

    Contar história para chamar atenção é uma coisa, auto-mutilação são outros 500. Eu também vi as fotos que todo mundo viu e acho que seria interessante saber se a Paula escreve de ponta cabeça. Não interessa como ela se posiciona politicamente, a direita suíça, ou mesmo as próprias autoridades suíças, não tinham o direito de fazer o que fizeram com ela. Basta dizer a respeito que já que ela de direita antes, quem sabe agora ela revise isso. Eu nunca acreditei em direitista, mas menos ainda acredito em autoridade suíça.

    Com base na minha própria experiência preciso urgir a todo mundo: NÃO ACREDITEM NENHUMA PALAVRA DA POLÍCIA SUÍÇA! ACREDITEM NO QUE A PAULA DIZ!

    Sei de experiência própria que as autoridades suíças estão querendo fazer o que melhor sabem, ao lado de perseguir estrangeiros: abafar o caso! Querem incriminar a vítima para esconder que o que foi feito com a Paula é um risco que se corre diariamente quando se é estrangeiro na Suíça. A gente aqui repara relativamente pouco nesse tipo de coisa na Suíça porque o brasileiro é uma das poucas nacionalidades bem-vindas lá. Em circunstâncias normais, as vítimas são alemães, iugoslavos e tamis. Sem me esquecer daquele tunisiano que uns anos atrás a polícia municipal de Zurique esmagou com uma viatura contra um muro para encobrir um assalto cometido por um suíço. É assim que as coisas funcionam na Suíça: crime cometido por um suíço, pega-se um estrangeiro qualquer - geralmente iugoslavo - na rua que será condenado e pagará pelo crime (isso talvez explique as estatísticas de população carcerária da Suíça).

    Comigo fizeram parecido a que fizeram com a Paula quatro vezes quando tive de 14 a 15 anos, em 1978/79. Porém, as duas primeiras vezes usaram cordas para me raspar a pele e chutar nas feridas, as duas outras me encheram de porrada e em seguida apagaram cigarros e charutos em minhas mãos e braços.

    E em fevereiro de 1987, durante uma viagem que me obrigou a entrar na Suíça - coisa que evito sempre que possível - acabei preso por embriaguez porque me recusei a dar Fr. 50,00 (cinqüenta francos) a um guarda fardado. Minha sorte foi que o médico que foi chamado se recusou a fazer o jogo dos policiais.

    Numa outra página deste blog vi a Vera Borda dizer:

    "Algum jornal brasileiro enviou para Zurique um bom repórter investigativo? Desses que descobrem em horas o endereço da ginecologista da moça, que perguntam ao rapaz que aparentemente morava com ela, onde a moça guardava os documentos em casa, se ele viu o ultrassom...".

    Não é assim que as coisas funcionam na Suíça. Em primeiro lugar, ninguém falaria por medo de que que as autoridades poderão fazer com ele/a. Em segundo lugar, repórter investigativo que fizer suas perguntas a outros que a polícia terá carreira curta lá.

    Em 2006 houve uma outra vez que foi necessário eu passar uns dias na Suíça. Num trem de Lucerna a Zurique, vi um cartaz anunciando números de telefone para denunciar atos de racismo. Fiquei de boca aberta. Não acreditei no que estava vendo. Estaria alguma coisa mudando na Suíça? Senti alguem me tocar no ombro, e um suíço me disse para não levar aquilo a sério, que era só uma armadilha da UNA - a principal entidade de polícia política na Suíça - para fichar anti-racistas. Tá, essa já era mais fácil pra acreditar...

    Lamento ter que me manter no anonimato, mas tenho parentes que hoje em dia estão na Suíça e que arriscariam gravíssimas conseqüências por parte das vingativas e abusivas autoridades suíças.

    Jorge

    ResponderExcluir
  7. Maria17.2.09

    Li a entrevista da muy amiga. Lembrei que bem no começo dessa confusão tb li que os colegas de trabalho desconheciam a gravidez. Agora, pelo que diz a muy amiga, muitos receberam o e-mail da Paula com cópia do exame. Ontem, em um telejornal, vi a declaração de um membro do parlamento suiço, afirmando que o namorado (que sumiu) tb estava sendo investigado, pois, segundo aquela autoridade, a Paula não fez tal encenação sozinha. Tudo se encaminha para o desfecho que coincinde(?) com a primeira versão da polícia. O auto-flagelo de uma moça deseguilibrada e que, conforme a muy amiga, gostava de inventar histórias. Há como provar o contrário? No final, talvez até a Suiça, apiedando-se de uma pessoa mentalmente insana, decida não processá-la. Paula retornará ao Brasil, de onde dificilmente sairá, pelos menos para países da União Européia. Claro que os familiares deverão assumir o compromisso de submeter a moça a um tratamento psiquiátrico intensivo.

    ResponderExcluir
  8. carlos Cunha17.2.09

    Mello, boa tarde,
    Esqueceu do Serra? O Nassif faz uma ótiam análise as "novas" denúncias do Jarbas. Dê uma olhada lá.
    Quanto à Paula, devíamos respeita-la mais e não ficar expondo-a a conjecturas.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Anônimo17.2.09

    COMPLEMENTANDO TUDO O QUE ACIMA FOI DITO, CADE OS EMATOMAS?

    LILIA

    .

    ResponderExcluir
  10. Anônimo18.2.09

    Não sei nao, por detras dessas evidencias televivas deve ter muita obscuridade, eu continuo acreditando nesta moça. Ela é uma pessoa capacitada senão nao teria passado em um concurso publico na suiça. Acho q existe historia q talvez nunca seram revelados para o bem do "status quo"

    ResponderExcluir
  11. Anônimo18.2.09

    Maria, a Suiça não é membro da União Européia...

    ResponderExcluir
  12. Gilson Raslan18.2.09

    O que me deixa intrigado nessa história é a omissão de dados. Os pais de Paula dizem que a filha tem documento que comprova a gravidez, mas esse documento não aparece; o companheiro de Paula desapareceu; o médico que atestou a gravidez de Paulo não foi procurado, se é que existe médico nesse embroglio.

    Tudo isto deixa uma séria dúvida sobre os fatos narrados pela Paula.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo19.2.09

    Desde quando com 3, 4 meses de gravidez se sabe que está se esperando gêmeos?? e MENINAS ainda!

    Só se for na Suiça...

    ResponderExcluir
  14. Anônimo19.2.09

    Gostaria de responder ao ultimo comentario, que tambem sou mae de gemeos e soube desde o primeiro mes de gravidez. O sexo deles eu soube com 4 mesmes, mas hoje em dia com aparelhos de ultrason super modernos podem saber antes.

    ResponderExcluir
  15. Mariano Salinas20.2.09

    Não sei mais o que pensar sobre todo o ocorrido e acredito que muita gente neste país ou até mesmo na Suíça (quem sabe) esteja confuso a tal ponto de não saber exatamente qual tipo de opinião expressar sobre a suposta agressão sofrida por Paula.

    É um caso super complicado. Todas as versões diferentes qe já foram contadas fazem sentido de certo modo e algumas pessoas, como eu, não sabem nem o que dizer sobre o comportamento de Paula e das autoridades.

    Só mesmo o tempo e muitas investigações para mostrar quem diz a verdade.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo22.2.09

    ã Paula cometeu uma fraude infantil e muito fácil de detectar, inclusive pelo que senti ao ler várias reportagens atinentes ao assunto, de início, sem ser periciada, os policiais a "olho nu" já tinham matado a charada: era armação. Ruim para os Brasileiros que estão aqui e pior para os residentes na Suiça que são 40 mil.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.