domingo, 8 de fevereiro de 2009

O Globo faz uma antientrevista com Neschling


Até os meus botões sabem (não posso falar pelos botões do Mino Carta, porque ele desistiu da blogosfera) que a demissão do maestro John Neschling tem um dedo (e, como diria o jovem ancião diante do exame de toque, que dedo!) do governador e presidente eleito pela mídia José Serra.

No entanto, um repórter contorcionista chamado Eduardo Fradkin (se a culpa foi do editor, minhas escusas) fez uma inacreditável entrevista com o maestro ontem em O Globo em que a pergunta fundamental não foi feita logo de cara, foi a última e formulada assim dois-pontos-travessão O senhor vê a mão do governador Serra na sua demissão?

A resposta, claramente editada, foi:

Vejo mais claramente a mão da Secretaria da Cultura de São Paulo do que qualquer outra em todo esse processo.

O maestro pode não ter confessado ao repórter, mas até o mundo mineral (ainda que o Mino Carta tenha se despedido das blogosfera) sabe que Serra demitiu o maestro, como antes demitira Nassif na Cultura. Não assinou a ordem, mas demitiu.

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Sei não, Mello. Trabalhei na OSESP durante vários anos na gestão de Cláudia Toni. A vi várias vezes saindo chorando de sua sala. Eu era o técnico de informática dela tanto na Osesp como pessoalmente. Várias vezes a Osesp foi tema de nossas conversas. E ela sempre deixou claro que aquilo que ela passou na Osesp ela nunca mais iria esquecer. Talvez tenha o dedo de Serra, mas que Claudia Toni ajudou, eu pessoalmente acho que ajudou. Agora, eles que são brancos que se entendam.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...