domingo, 15 de fevereiro de 2009

Paula Oliveira, vítima do resultado do plebiscito na Suíça?


Presidente do SVP e o cartaz da campanha

Paula Oliveira pode ter sido vítima da campanha pelo Não no Plebiscito que ocorreu na Suíça dia 8 de fevereiro. Coincidentemente, um dia antes do ataque que ela afirma ter sofrido de três neonazistas, que deixaram marcas e escreveram em seu corpo a sigla do partido direitista, atualmente no poder naquele país, SVP.

Em 8 de fevereiro os suíços foram às urnas ampliar ou negar acordos anteriores assinados com a União Européia. O partido no poder, SVP, fez campanha pelo Não e perdeu. Eles queriam restringir a livre circulação de estrangeiros pelo país. O Sim venceu por 60% a 40%.

A campanha do SVP foi agressiva, os estrangeiros sendo vistos como corvos que devoravam a Suíça aos bocados, como mostra reprodução do cartaz da campanha aí em cima.

O ex-presidente do partido e ex-ministro da Justiça, Christoph Blocher, numa entrevista no mesmo dia 9, lamentou o resultado e atacou imigrantes, especialmente alemães e portugueses:

Ele citou que o desemprego entre os imigrantes portugueses aumentou 108% nos últimos quatros meses e que esses desempregados ficam na Suíça para receber o seguro-desemprego e os benefícios da assistência social.

Pois foi na noite desse dia que Paula foi atacada, segundo suas próprias palavras, quando falava ao telefone (em português) com sua mãe.

A sigla SVP espalhada por seu corpo não seria mais uma forma radical de protesto e inconformismo contra esses “portugueses que ficam na Suíça para receber o seguro-desemprego e os benefícios da assistência social” e que, afinal, foram beneficiados pela vitória do Sim no Plebiscito?

Falar português pode ter sido a desgraça de Paula Oliveira.

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Vera Borda15.2.09

    É isso aí, Mello. Raciocinou e desvendou o mistério.

    ResponderExcluir
  2. Crica15.2.09

    Mello,

    Acho legal a defesa que vc fez do caso específico de eventual barrigada da Globo.
    Muito nobre.
    Porém, essa nobreza foi retribuída pelo causador da confusão, o Noblat, com a reprodução de artigo da Folha: Lula deve pedir desculpas à Suiça, diz o SPV.
    Como vc chama isso? Não vou falar como chamo em respeito a vc e seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Certo Mello, ta tudo bom, mas e aquela conversa dos jornalistas brasileiros que começaram a pressionar o Governo para que ele se pronunciasse sobre o assunto? Como ele não dizia nada, eles diziam, - O Itamarati não se pronuncia sobre o caso da brasileira que sofreu agressão na Suíça! Como fica isso depois dessa história toda?

    Não sou a pessoa certa para falar que o “jornalismo” brasileiro fez o correto no inicio, quando fez a denuncia. Agora vejamos; 1º há uma pessoa que fez acusações de que teria sofrido agressões. 2º isto ocorreu porque a policia local não teria procedido corretamente e deixará de investigar. E 3º é uma brasileira necessitando de ajuda. O que você faria nessa hora? Faria a denuncia ou se calaria?

    Da mesma forma que se acreditou e se acredita, já que existem duas versões para o caso, algumas pessoas rapidamente mudaram de opinião e depois de defender a moça começam a levantar suspeitas, partindo de informações de matérias publicadas em jornais suíços.

    Este me parece ser a prova cabal do pensamento de manada. Não preocupados em pensar, algumas pessoas agem em direção a onde o bando se locomove. E isto é o que de pior tem na Internet.

    Eu pessoalmente prefiro ficar com a versão da moça. Se algo está errado na história dela, o que não acredito só o tempo nos dirá.

    Como não moro na Suíça, não conversei com ela nem com alguém que tenha contato com ela o melhor que faço é esperar.

    ResponderExcluir
  4. Dimas,
    você leu todas as postagens que fiz sobre o tema e estão na primeira página do blog?
    É o que defendo, desde o início, a denúncia feita pela Paula.

    ResponderExcluir
  5. Esses nazistas que fiquem na Suíça que os pariu! Pronto, desabafei!

    ResponderExcluir
  6. Li sim Mello.
    Não estou me referindo aos seus textos. Que gosto de ler. Mas ao estou de manada que se segue agora só porque os jornalistas Suíços dizem o contrario.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo16.2.09

    Mello, o que você disse faz muito sentido e sou contra os que já decidiram que ela mentiu.
    Mas, honestamente acho algumas coisas estranhas. Nas fotos da barriga dela que circulam na rede, há um "S" invertido (meio apagado, mas visível), parecendo coisa de quem desenhou em si mesmo e perdeu a noção de lateralidade. O "V" e o "P" imediatamente ao lado têm a direção de leitura normal.
    Sílvia
    A outra coisa estranha é a polêmica sobre sua gravidez: se a moça teve hemorragia, não deve ter sido nos ferimentos, que são superficiais. Deve ter sido mesmo aborto ou, no mínimo, hemorragia ginecológica. Mas, em que momento isso aconteceu, se a barriga machucada que aparece nas fotos continua alta?
    E, se ela se cortou, por que faria isso, se aparentemente tinha uma vida satisfatória? E, ainda, de maneira a coinstituir caso atípico, pois não é comum a pessoa cortar o corpo todo?
    (Parênteses interessantes: já perdi uma gravidez comprovadíssima, mas, como o hospital não queria fazer o procedimanto de raspagem, o médico me "deu alta", dizendo que tive menstruação hemorrágica. Tive de mudar de hospital para ter atendimento correto.)

    ResponderExcluir
  8. Anônimo16.2.09

    Ai ai...e agora se for provado auto-mutilação? Por onde irão as teses?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...