sexta-feira, 1 de maio de 2009

STF acaba com Lei de Imprensa. Liberou geral. - 'Meu, nosfu'


Não há mais regra alguma. É como queriam os Civita, os Marinho, os Frias. Eles publicam o que querem e quem se sentir prejudicado que entre na justiça. Foi o que decidiu o STF ontem, de goleada, ao extinguir a Lei de Imprensa.

Agora, temos que esperar que nossos congressistas se movam e façam alguma lei, com algum dispositivo que nos proteja do poder da mídia, garantindo, por exemplo, direito de resposta publicado com igual destaque.

Mas eles vão se mexer? Vão querer contrariar a Globo, a Veja, a Folha, que vivem, a partir da decisão do Supremo, no melhor dos mundos, se no ano que vem teremos eleições para o Congresso?

Nós tamosfu (não confundir com o antiviral do Rumsfeld, de nome parecido, que é indicado para a gripe suína, porque, no nosso caso, tamosfu por causa de nossa mídia porcorativa suína).

Vamos tomar o caso da ministra Dilma e da reporcagem que a Folha produziu sobre ela, inclusive com documento fajuto vindo de um spam lançado por milicos saudosos da ditadura.

A reporcagem foi publicada com destaque na primeira página de um domingo – dia de maior tiragem (com duplo sentido, por ser em relação à Folha) do jornal. O erramos veio envergonhado, lá dentro, num sábado.

Isso aconteceu com a Dilma, ministra de Estado e candidata a presidente da República. Agora, imagine se fosse com um de nós. Nem o erramos saía.

Já se imaginou entrando com uma ação contra a Abril ou contra as Organizações Globo, com seus exércitos de advogados e seus data venia, seus modus in rebus (ai!)?

Parodiando o presidente Lula:

- Meu, sifu, nosfu, tamosfu.

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Anônimo1.5.09

    Acho que isso abre o caminho para que a campanha presidencial do Serra, que conta com a adesão da grande mídia. Se antes dela acreditava-se que em 2010 seria um festival de baixaria midiática, agora, pode-se ter certeza, pois até que alguém se sinta ofendido, recorra judicialmente, e tenha seu processo apreciado, o pleito eleitoral já terá passado. Vejamos qual será o próximo movimento da direitona em direção a sua tendência de querer vencer,mesmo que seja no tapetão.
    Iv

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1.5.09

    É... estamos no meio do chiqueiro!!!!
    Que país de merda!!! E não era de se esperar outra coisa desse STF, seu histórico é tão porco quanto a porcaria publicada pela mídia!!!

    E será um Deus nos acuda, agora que os jornazistas têm o poder de escrever qualquer obra de ficção como sendo verdade jornalística!!! Que vergonha!!!

    ResponderExcluir
  3. Isso, vamos sentar e esperar que o Miro Teixeira proponha uma nova lei... E o pior é que tem blogueiro que se diz de esquerda saudando o fim da lei.

    Fiz um post sobre o tema no meu blog. Se quiserem dar uma olhada é só clicar no meu nome. Saludos.

    ResponderExcluir
  4. É isso mesmo, Mello!

    Se com a Lei de Imprensa já não havia respeito ao direito à informação, imagine agora. Os porcos vão rolar na lama. Será que não haveria pior período para o STF tocar fogo nessa lei? Faltando pouco mais de um ano para as eleições presidenciais, Gilmar Mendes e seus capangas de toga resolvem tirar as poucas regras regras restantes do jogo.

    Em suma: tamo (sic)na merda!

    http://imprensamarginal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Anônimo1.5.09

    Ué, mas não estavam todos dizendo maravilhas do Joaquim Barbosa? Ele também votou a favor. Ele e todos os outros 6 ministros do STF indicados pelo Lula... Os blogs de esquerda são comos os jornalões: só mostram o que interessa. Até agora não li uma linha aqui sobre a lei anti-tabagista, não li um comentário sobre a doença da ministra e também não tem nada sobre a promessa de 30 bilhões para o Rio-2016 (feito pela ministr`), mais uma forma de comer dinheiro público... Por que? Será que é porque a bancada petista votou contra a lei anti-tabagista. Será que a é necessário deixar a doença da ministra no esquecimento, para não dificultar a candidatura? É preciso dar dinheiro público para uma Olimpíada ( um celeiro de elefantes brancos, como foi o Pan), evento que há mais de 25 anos é promovido com dinheiro privado? Pensem nisso... Gustavo

    ResponderExcluir
  6. Gustavo,
    o voto do ministro Joaquim Barbosa não foi pela liberação geral. Veja o quer está escrito no site do próprio STF:
    O ministro Joaquim Barbosa votou pela parcial procedência do pedido, ressalvando os artigos 20, 21 e 22, da Lei de Imprensa. De acordo com ele, esses artigos que versam sobre figuras penais ao definir os tipos de calúnia, injúria e difamação no âmbito da comunicação pública e social são compatíveis com a Constituição Federal. “O tratamento em separado dessas figuras penais quando praticadas através da imprensa se justifica em razão da maior intensidade do dano causado à imagem da pessoa ofendida”, afirmou.

    Para o ministro, esse tratamento especializado é um importante instrumento de proteção ao direito de intimidade e útil para coibir abusos não tolerados pelo sistema jurídico, não apenas em relação a agentes públicos. “Entendo que a liberdade de expressão deve ser a mais ampla possível no que diz respeito a agentes públicos, mas tenho muita reticência em admitir que o mesmo tratamento seja dado em relação às pessoas privadas, ao cidadão comum”, disse.

    Durante o voto, Joaquim Barbosa defendeu que não basta ter uma imprensa livre, mas é preciso que seja diversa e plural, de modo a oferecer os mais variados canais de expressão de ideias e pensamentos. Ele criticou a atuação de grupos hegemônicos de comunicação que, em alguns estados, dominam quase inteiramente a paisagem áudio-visual e o mercado público de idéias e informações, com fins políticos. De acordo com ele, a diversidade da imprensa deve ser plena a ponto de impedir a concentração de mídia que, em seu entender, é algo extremamente nocivo para a democracia.

    Em retomada posterior, o ministro reajustou seu voto ao da ministra Ellen Gracie, também pela manutenção dos artigos 1º, parágrafo 1º, artigo 14 e artigo 16, inciso I, que proíbem a propaganda de guerra, de processos de subversão da ordem política e social ou de preconceitos de raça ou classe. De acordo com ele, é possível interpretar a linguagem para que o texto seja compatível com a ordem constitucional vigente.

    De acordo com o ministro, quanto à questão dos preconceitos, também mencionados nos mesmos dispositivos, “suprimir pura e simplesmente as expressões a eles correspondentes equivalerá, na prática, a admitir que, doravante a proteção constitucional, a liberdade de imprensa compreende também a possibilidade de livre veiculação desses preconceitos sem qualquer possibilidade de contraponto por parte dos grupos sociais eventualmente prejudicados”.

    Confira aqui:
    http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=107402

    Além do mais, uma pessoa pode estar certa numa hora e em outra não.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo1.5.09

    Mello, eu já tinha lido sobre essa votação "com ressalvas", mas o fato é que ele ajudou a aprovar a lei. Gustavo

    ResponderExcluir
  8. Gustavo,
    mas aí está toda a diferença.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.