sexta-feira, 30 de julho de 2010

Aula de porcalismo da Folha de São Paulo. Episódio de hoje:


Como transformar uma notícia positiva em negativa. E ainda dar manchete de primeira página.

Manchete da Folha hoje: "Em 20 anos, sobe 39% proporção de mortes neonatais"

No corpo da matéria está a informação que interessa: a mortalidade infantil caiu no Brasil 54%.

Entre 1990 e 2008, quando a mortalidade infantil total caiu 54% (de 95.476 para 43.601 bebês por ano), o percentual de recém-nascidos no número total passou de 49% para 68%.

Mas isso é bom. Então, como transformar algo bom numa coisa ruim e dar a primeira página para ela? Simples, é só seguir o manual do porcalismo e manipular a estatística.

Vamos fazer as contas: Em 1990, o total de recém-nascidos mortos era de 49% e o número total da mortalidade infantil era 95.476. Logo, 49% de 95.476, teremos um total de 46.783 recém-nascidos mortos, número que é maior até do que o total da mortalidade infantil de 2008 (43.601).

Agora vejamos o tal aumento na mortalidade de recém-nascidos, que passou de 49% para 68%. Para isso vamos tirar 68% do total de mortos em 2008 (43.601). Resultado: 29.648, o que significa menos 17.153 recém-nascidos mortos, aproximadamente menos 50 mortes por dia, duas por hora. De recém-nascidos.

Só notícia boa. Mas a manchete da Folha está lá: "Em 20 anos, sobe 39% proporção de mortes neonatais". É a mesma estatística que diz que se João comer um frango e Pedro, nenhum, eles terão comido meio frango cada um.

Mas, não adianta. É Frias. Esse trem não sobe Serra, só desce Serra.

.

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Anônimo31.7.10

    Mello, não sei fazer contas, mas creio em vc 'veio'. Só queria dizer bem vindo de volta. Vc faz falta na NET.

    Ronaldo R. Freitas

    ResponderExcluir
  2. A credibilidade da Rolha de SP esta la no rodapé, se continuarem assim, vão fechar logo.

    ResponderExcluir
  3. kkkk
    é isso mesmo que eles fazem...
    muito boa a sua analise!

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Mello... O Estado de Minas é mestre em fazer isso, quase todos os dias. A gente já lê o jornal procurando essas "pegadinhas". É uma aula de como praticar o jornalismo sem informar nada à população. Utilizam a mídia para favorecer ou desfavorecer quem eles querem, ou, quem sabe, quem pagar mais... =/
    Triste!
    Abraços

    Ana.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo6.8.10

    Na verdade houve um erro de conta na manchete furada da folha que deveria ter sido "A mortalidade neo-natal sobe 19% em 20 anos". Explico:Em 1990 a taxa de recem-nascidos mortos correspondia a 49% do total da taxa de mortalidade infantil. Em 2010 esta mesma taxa passou a 68% do total da taxa de mortalidade infantil. Daí que o correto seria afirmar que ouve um aumento de 19% na taxa de mortalidade neo-natal nos 20 anos e não como consta na manchete 39%. Por outro lado, como muito bem colocado pelo Mello, na história do frango, um come o frango inteiro enquanto o outro não come nada e na média a taxa de consumo fica em 50%.É o jornalismo da pegadinha, muito usado por tucanos e assemelhados.
    Carlos - SP

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...