sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Maiores responsáveis por enchentes agora se preparam para lucrar com elas


Governadores e prefeitos, como sempre, acusam-se. É a regra. Ou foi o governo anterior. Ou o prefeito. Nenhum deles tem culpa de nada. Se não apontam alguém de carne e osso, culpam os céus. Foi São Pedro. Ou a chuva.

Mas, não importa. Todos sabemos quem são os culpados. Eles apenas aparecem na TV para cumprir a parte que lhes cabe no jogo: dizer que farão o que já deveriam ter feito.

Mas, no fundo, no fundo, eles sorriem satisfeitos. As verbas chegam como as chuvas, torrenciais, abundantes. Um bi para SP, outro tanto para o RJ.

Alegando o caráter emergencial, contratarão empreiteiras, estudos de solo junto a ONGs amigas, tudo superfaturado, pois não há tempo para licitação.

Depois, o que é desviado vai para suas contas no exterior, fazer caixa para futuras campanhas, outro tanto para pagar páginas inteiras nos jornais e anúncios na TV, mostrando que o governo do estado ou a prefeitura tal estão trabalhando pelo povo. E as reportagens somem das primeiras páginas. Não geram mais chamadas nos telejornais.

Até o ano que vem.

No ano passado, o morro do Bumba, em Niterói, construído sobre um lixão, desabou, matando dezenas de pessoas. A situação hoje, segundo o Jornal do Brasil, é a seguinte:

No Morro do Bumba, em Niterói, onde, em abril do ano passado, 48 pessoas morreram depois de que a comunidade, erguida no terreno onde funcionava um lixão foi devastada por um deslizamento de terra, a situação dos desabrigados ainda é crítica.

– Quem não perdeu sua casa no deslizamento, como meu filho, voltou para o morro. Os abrigos são insalubres, o aluguel social não é pago, e a indenização prometida pelas casas ameaçadas ainda não foi vista. Não há outra solução – disse a presidente da associação de Moradores do Bumba, Norma Sueli Pacheco.

O presidente da Associação das Vítimas do Morro do Bumba, Francisco Ferreira, acusou a prefeitura de Niterói.

– Os moradores do Bumba levados para a antiga sede do 4º G-CAM estão sem luz. O descaso é absurdo. O município diz que faz, mas, sequer nos recebe para conversar. Dos quase 11 mil que têm direito ao aluguel social, menos de um terço tem recebido.

Alvo de acusações, a prefeitura de Niterói não respondeu ao Jornal do Brasil .

.

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. rita9314.1.11

    Oi Mello, gostei da abordagem ao assunto mais apresentado nos noticiários nestes últimos dias. Teríamos de achar um meio para romper esta cultura política nefasta? Como?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo14.1.11

    Mello.

    O culpado é São Pedro mesmo. Se não o fosse o grande líder, profeta das chuvas, el Gran Giuseppe Serra, teria acabado com elas. Mandou na prefeitira e no governo de Sampa por 6 anos e não conseguiu nem limpar o rio Tietê, imagina acabar com as enchentes.

    ResponderExcluir
  3. quinta-feira, 13 de janeiro de 2011
    HAARP, O CRIME PERFEITO...
    CONECTE ESTES PONTOS.

    O "INVISÍVEL" H.A.A.R.P., O RAIO DA MORTE + USINAS NUCLEARES = DEPOPULAÇÃO E EXTERMÍNIO EM MASSA DAS SENZALAS EXCEDENTES... O CRIME PERFEITO...

    "O HAARP forma parte do arsenal da Nova Ordem Mundial no marco da iniciativa da defesa estratégica (SDI). Desde os pontos militares principais dos EUA, se poderiam desestabilizar potencialmente economias nacionais inteiras utilizando as manipulações do clima.

    O que é muito importante, esta última poderia colocar-se em prática sem o conhecimento do inimigo, a um custo mínimo e sem empregar pessoal e equipamentos militares como em uma guerra convencional.
    O HAARP, se aplicado, poderia trazer conseqüências devastadoras para o clima mundial. Para satisfazer os interesses econômicos e estratégicos dos EUA, poder-se-ia utilizar para modificar o clima de maneira seletiva em diferentes partes do mundo, o que provocaria a desestabilização dos sistemas agrícolas e ecológicos. (Michael Chossudovsky - Global Reserch )

    ResponderExcluir
  4. E os caras que assim se comportam conseguem se reeleger. Como explicar isso?
    http://easonfn.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Luis Rodrigues14.1.11

    E, para comemorar, a PM paulista manda borracha na garotada.

    ResponderExcluir
  6. Sintético e elucidativo, Mello.
    O que é necessário é que o Ministério Público vá em cima de todos os governos e prefeituras que recebem dinheiro há anos, todo janeiro, para obras e proteção das populações ali alojadas, e vire do avesso suas obras, seus projetos, seus contratos, suas prestações de contas.
    É fácil. Basta o MP querer e se dispor a trabalhar. Faça chegar essa sugestão ao MP, por favor.
    Mario Madureira
    Porto Alegre - RS, diretamente de Bordeaux, França.

    ResponderExcluir
  7. Martin.15.1.11

    (2ª parte)

    MAS...Como SEPARAR o “político” do empresário ???

    FILTRO POLÍTICO nos traz à SOLUÇÃO =>

    Dando aos Congressistas a mesma estabilidade do Poder Judiciário e Policiais Federais , através de CONCURSO PÚBLICO !!!

    - Com Estabilidade no Cargo => Sem Necessidade de Financiamento de Campanha !!!

    - Proibidos de serem Sócios de Empresa Comercial !! => Não ouviríamos mais aquela frase idiota: "Meu Nome e o de Minhas Empresas são Imaculados” !!

    - Aliado ao Endurecimento da Legislação contra Crimes do Colarinho Branco;

    - Enquadrando como Crime Hediondo os delitos de:
    Evasão de Divisas, Sonegação Fiscal, Lavagem de Dinheiro, Corrupção e Formação de Quadrilha.

    Obs.: Poderíamos definir 2/3 das vagas p/ candidatos formados exclusivamente em Escolas Públicas... ( Incentivando a Escola Pública de Qualidade e a Carreira de Professor ).

    Dessa forma, cada região estaria obrigatoriamente representada (por exemplo) pelo menos por 1 Deputado Estadual, SELECIONADO de uma forma muito mais justa e digna para avaliar (no dia-a-dia) as questões que dizem respeito à ÁREA que ele vai representar lá na Assembléia Legislativa, na capital de seu Estado...E assim tbém com relação aos Deputados Federais e Senadores, que irão morar em Brasília (e certamente serão mais produtivos, no BOM SENTIDO) .


    Quanto aos Vereadores (incubadora de políticos), bastaria sua simples indicação pela Associação Comunitária ou Entidade Sindical (SEM gastos com campanha), aliado a um salário simbólico, compatível com 1 reunião noturna semanal !! (grande percentual das cidades brasileiras têm 1 reunião semanal apenas).

    Nessa NOVA REALIDADE, as "IDEOLOGIAS" POLÍTICAS teriam um espaço justo, e não serviriam, como é hoje, para picaretas fazerem "carreira" política enquanto legitimam ações de GRUPOS FINANCEIROS e BANQUEIROS que os financiam...Ou então desenvolvendo suas próprias “empresas”.

    Por falar nisso, em 1993 durante o escândalo dos "Anões do Orçamento", Lula denunciou que dos 513 deputados federais, 300 seriam “PICARETAS” !!!

    E hoje, será que estamos livres desses “PICARETAS” ???

    Obs.: Concordo com você em relação ao título do seu texto => Esses "políticos" e suas "empresas" serão os 1ºs a se beneficiar...

    Parabéns pela sua LUCIDEZ !!

    Att.

    Martin

    ResponderExcluir
  8. Martin.15.1.11

    Prezado Antônio Mello!! (1ª parte)


    Eu tenho uma visão tão simples disso tudo !! (A razão de haver esse crescimento urbano DESORDENADO...)

    1) O “político” está inserido fortemente no contexto empresarial (ou econômico) de TODAS as Cidades (e Estados ) .

    2) Essas Empresas (ou Sociedades Comerciais ) colaboram drasticamente com o pagamento das campanhas vencedoras desses “políticos”, e ambos conviverão em harmonia (de interesses!!) pois precisarão reativar esse apoio daqui 4 anos...


    3) E ainda, na MAIORIA das vezes, o próprio “político” aproveita sua chegada a esse âmbito para se beneficiar de informações privilegiadas e iniciar-se como “empresário” !! Se já não é...

    Como se sabe, a mão-de-obra barata (advinda dessa população “favelada”) é um dos pilares do capitalismo selvagem...Selvagem porque, nesse ambiente, os “fins justificam os meios” !! E as ocupações irregulares ocorrem paralelamente à busca do MAIOR LUCRO POSSÍVEL para continuar crescendo mais e mais...

    E a oferta de mão-de-obra barata cai como uma luva...

    Pense também, caro amigo da zona sul carioca, quantas diaristas não habitam essas favelas que estão aí em frente às suas janelas...?

    O que preconizo como SOLUÇÃO (gradual) para a maioria dos problemas das SOCIEDADES HUMANAS, é a SEPARAÇÃO RADICAL entre os “políticos” e os empresários !!!!! Coisa que a própria Constituição Federal de 1988 “tenta” mas não consegue evitar !!

    Esses "políticos" e suas umbelicais ligações com o empresariado, NUNCA "fiscalizam" essas áreas de ocupação irregular, porque ali moram seus "funcionários baratos" e suas famílias, além de que, próximo da época de eleições, qualquer pequena "urbanização" lhes dará "bons votos"...

    (Desculpe meu quase esquecimento...Essas áreas invadidas "às vezes" são rapidamente evacuadas, até com operações policiais, quando existe algum projeto "econômico" que foi alí aprovado!! MAS NUNCA porque está agredindo o meio-ambiente ou fora dos padrões do plano diretor...NUNCA!!)

    Quando conseguirmos selecionar POLÍTICOS com real vocação de FUNCIONÁRIO PÚBLICO bem preparado ( e selecionado!), o resto será questão de tempo...

    Aí então, as ações de REAL Interesse Público serão VERDADEIRAMENTE vigiadas pelos nossos “SÍNDICOS” (aqui focadas na Preservação de Matas Ciliares e Encostas de Áreas Íngremes, o NÃO desmatamento, o respeito e melhoria dos Planos Diretores, a NÃO POLUIÇÃO descarada, a revisão da MATRIZ ENERGÉTICA e de TRANSPORTE público , etc.)

    MAS...Como SEPARAR o “político” do empresário ???
    (continua na 2ª parte)
    Att.
    Martin

    ResponderExcluir
  9. Anônimo19.1.11

    Nesse drama de chuvas intensas e tragédias humanas devemos agradecer a FAB (Força Aérea Brasileira) pela cooperação operada!

    VIVAS à FAB!

    VIVAS ao Brigadeiro Burnier que vive dos impostos do povo.

    Aquele Burnier do gasômetro do Rio, VIVAS!

    Senta a Pua, Carlos Lott

    ResponderExcluir
  10. Mello, seus comentários a respeito dos governantes lucrarem com as tragédias, me fez pensar sobre isso. Ai pensei: se o dinheiro para socorro fosse retirado de outras verbas do mesmo ente público, isso não seria uma vantagem e sim uma punição, pois iriam alocar os próprios recursos em solução rápida das tragédias. Como se fosse um empréstimo a ser abatido em outras rubricas do estado ou município. Seria uma intervenção nos recursos daquele ente. Mas sobre as licitações ou a falta delas, não ví uma solução rápida, mas se outras pessoas mais afeitas às leis de licitação se debruçarem sobre a questão devem encontrar alguma coisa que não permita que os negligentes saiam com lucro na tragédia alheia. Imagino que uma boa formulação sobre isso interessaria a algum parlamentar que poderia fazer um projeto de lei ou sei lá o nome, para que seja mais interessante aos governantes agir com prevensão do que com obras apenas paleativas, depois da desgraça ocorrida.
    Att,
    Marcelo C.

    ResponderExcluir
  11. Marcelo,
    o estado de emergência, decretado pelo governador do RJ, vale por seis meses. Nada de concorrência nem de justificativas. É só escolher quem vai fazer e quanto vai levar.

    ResponderExcluir
  12. Pois é mello, mas e se nestas circunstâncias, essas escolham fossem, obrigados por lei, feitas por algum órgão diferente do ente original. Qual órgão não sei, mas nesse caso além da humilhação da intervenção, as possíveis vantagens seriam transferidas dos responsáveis pela falta de prevenção e o ciclo vicioso se quebraria. Falta alguem tomar a iniciativa e ver se isso passa.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...