segunda-feira, 11 de abril de 2011

Militares usaram índios e mateiros para assassinar e cortar cabeças de guerrilheiros no Araguaia


Reportagem de Lucas Figueiredo com fotos de Daniel Kfouri publicada na revista GQ denuncia que o Exército brasileiro usou (mediante coação e pagamento) índios e mateiros para perseguir, executar, matar e até cortar a cabeça de guerrilheiros que lutavam no Araguaia contra a ditadura civil-militar que golpeou o país em 1964.

GQ reuniu provas que mostram que, no início dos anos 70, no governo do general-ditador Emílio Garrastazu Médici, a força terrestre fez de pacíficos índios Aikewara - da aldeia Suruí Sororó, no sudeste do Pará - máquinas de caçar e matar homens. Um militar da reserva que participou das operações afirma que, na caçada humana, os índios não se limitaram a matar. Cortaram cabeças. Era a prova que o Exército exigia do dever cumprido.

O ataque final da ditadura à guerrilha foi devastador:

Eram 3400 soldados contra 76 guerrilheiros (69 já estavam no local e sete a caminho). Ou seja, uma vantagem para as Forças Armadas de 45 para 1 - vantagem, aliás, ilusória, já que os insurretos dominavam a selva e os militares não.

O índio Warani (foto) declarou que "[Soldados] levaram índio dizendo que era para caçar macacos e caititus. Mentira! Era para caçar terrorista." Terrorista é como a ditadura chamava (e seus seguidores de hoje chamam) os que pegaram em armas para combater o golpe.


O coronel da reserva Aluisio Madruga de Moura e Souza, veterano dos combates no Araguaia, confirma a informação, num email enviado a um amigo:

Madruga atesta que os índios de fato participaram da terceira e última campanha militar no Araguaia, a Operação Marajoara. Na mensagem, o coronel Madruga faz uma afirmação grave: "O único caso de cabeças cortadas - duas - de que tenho conhecimento foi protagonizado pelos índios Suruí já mais para o final da Operação Marajoara".

Sinésio Martins Ribeiro, um mateiro que guiava tropas do Exército na região confirma a informação:

"Eles [os militares] davam um saco de plástico branco forte e diziam: 'Derruba o papagaio e tira o bico dele'. Papagaio era como eles chamavam os guerrilheiros, e bico era a cabeça."

Mais uma vez fica clara a importância da Comissão da Verdade. Arrastar essa história mal contada é um fardo pesado demais para o país. Temos que agir como nossos vizinhos e obedecer à resolução da Corte Interamericana de Direitos Humanos, como deixou claro o professor Comparato em artigo publicado aqui.

.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.