terça-feira, 24 de maio de 2011

No New York Times, uma possível saída para DSK: Cientistas israelenses afirmam que provas de DNA podem ser fabricadas


Cientistas em Israel demonstraram que é possível fabricar provas de DNA , minando a credibilidade daquela que é considerada a prova definitiva nos processos penais. É o que informa reportagem do The New York Times.

Com isso, pode não dar em nada a nova acusação (vazada, e não confirmada, é bom destacar) de que teriam sido encontrado traços do DNA de Dominique Strauss-Kahn no uniforme da camareira que o acusa de tentar estuprá-la num hotel nos EUA.

Strauss-Kahn, ex-presidente do FMI e (ex)provável candidato à presidência da França, pode apelar agora aos cientistas para mostrar que as provas contra ele podem ter sido forjadas. Nada que um bom advogado, regiamente pago, não consiga fazer. E DSK tem dinheiro e influência para isso.

Os cientistas israelenses teriam conseguido produzir sangue e saliva com amostras de DNA de uma pessoa que não doou nem o sangue nem a saliva.

"Você pode criar a cena de um crime. Qualquer estudante de Biologia poderia fazer isso", afirma Dan Frumkin, responsável pelo estudo.


.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...