terça-feira, 8 de maio de 2012

Polícias Civil do Rio e Federal pedem à Globo fitas do Fantástico com denúncias de corrupção. Globo diz que apagou


Lembra aquela reportagem do Fantástico do mês passado em que funcionários e até donos de empresas eram pegos numa pegadinha do repórter que se fazia passar por diretor de hospital fazendo licitação?

Lembra que a reportagem mostrava como eram corruptos e acenavam com comissões para o diretor-repórter?

Pois as Polícias Civil do Rio e Federal pediram à emissora o material bruto (todas as fitas com a íntegra das gravações) da reportagem, e não apenas o material editado que foi ao ar, e a Rede Globo disse que não mantém em arquivo as fitas brutas das imagens, mas apenas o que vai ao ar.

Ou seja, tudo aquilo pode ter sido uma grande farsa montada pela emissora. Vou mostrar como, simulando Repórter (R) e emissário de empresa (E).

Se a íntegra do diálogo entre os dois foi assim:

R -  Mas vocês não têm assim um esquema, um agrado, uma comissão para o comprador?
E - Não.
R - Mas sabe que existem pessoas que agem assim, não sabe?
E - Sei.
R - Cá entre nós, como isso é feito?
E - Não sei. A gente ouve falar.
R - Seria como? Na mão grande, a pessoa oferece?
E - É... Eles dizem assim "olha, nós podemos fazer o preço de acordo com sua comissão. Pode ser 15, 20%"...
R - Chega a ser tanto assim?
E - Em algumas concorrências, sim.
R - Mas, como é que falariam pra mim. Vamos supor, você...
E - "Olha, a gente pode trabalhar com a sua faixa... Se quer 20% a gente dá. O importante é o cliente ficar satisfeito"...

Etc, etc...

Agora, vamos para a edição: o que seria cortado do diálogo e o que iria ao ar. Vou usar aqui as frases do Emissário (que poderia ser você, leitor, você, leitora), que estão em negrito acima:

E - Olha, nós podemos fazer o preço de acordo com sua comissão. Pode ser 15, 20%.  Se quer 20% a gente dá. O importante é o cliente ficar satisfeito.

A diferença entre o que aconteceu e o que foi ao ar é gritante. O que o suposto Repórter e o suposto Emissário conversaram foi uma coisa. O Emissário da empresa disse que NÃO pagava propinas. Mas, estimulado pelo Repórter, disse que sabia do esquema feito por algumas pessoas, e o reproduziu, fazendo-se passar por um dos corruptores.

O que teria ido ao ar nesse exemplo que criei, incrimina o Emissário, mostra-o como se estivesse oferecendo comissão, o que ele não fez e disse que não fazia.

Voltando ao nosso mundo real, e  saindo do mundo Fantástico, suponha que você tenha sido o Emissário, a Emissária atingido(a) pela reportagem. O Brasil inteiro, a partir daquele domingo, o (a) viu como um(a) corrupto(a) fdp.

E o que você alegaria em sua defesa? Que não disse aquilo, que suas palavras foram truncadas, editadas.

Mas, como provar? Pedindo o material bruto, não editado pela Globo, à emissora...

Pois eles dizem que apagam. Divulgam (ou difamam) sua imagem, e depois alegam, com a maior cara de pau, que não mantêm em arquivo o material bruto.

Processo neles, pessoal.




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.