sexta-feira, 16 de agosto de 2013

'Joaquim Barbosa pode renunciar', é o que informa o jornalista Carlos Chagas, pai de Helena Chagas, ministra da Secom


Só agora caiu na rede uma coluna escrita pelo veterano jornalista Carlos Chagas, pai da ministra Helena Chagas, com a bombástica informação de que o ministro e atual presidente do STF, Joaquim Barbosa, poderia renunciar não somente à presidência do Supremo, como também ao cargo de ministro, caso o resultado do julgamento do mensalão não seja o desejado por ele.

Recebi vários e-mails, que estão correndo a rede, pedindo confirmação da matéria. Sim, a coluna existe e foi escrita em 4 de maio deste ano. Portanto, há mais de três meses. Mas, agora, com a retomada do julgamento do chamado mensalão, ela corre a rede, como um buscapé.

Eis a íntegra do que escreveu Carlos Chagas sobre o assunto, em sua coluna regular na Tribuna da Imprensa:

A conspiração dos derrotados (ou Joaquim Barbosa pode renunciar)


Carlos Chagas       
Serão desastrosas as consequências, se  os mensaleiros conseguirem convencer a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal a iniciar o segundo tempo do julgamento do maior escândalo político nacional, dando o dito pelo não dito e o julgado por não julgado, na  apreciação dos embargos apresentados até quinta-feira.
Primeiro porque será a desmoralização  do Poder Judiciário, tendo em vista que os réus já foram condenados em última instância, em seguida a exaustivas investigações e amplas condições de  defesa.
Depois, porque como reação a tamanha violência jurídica,  Joaquim Barbosa poderá renunciar não apenas à presidência do Supremo, mas ao próprio exercício da função de ministro. Esse rumor tomou conta de Brasília, ontem, na esteira de uma viagem que o magistrado faz a Costa Rica, de onde retornará amanhã. Se verdadeiro ou especulativo, saberemos na próxima semana, mas a verdade é que Joaquim Barbosa não parece capaz de aceitar humilhações sem reagir. Depois de anos de trabalho  como relator do processo, enfrentando até colegas de tribunal, conseguiu fazer prevalecer a Justiça, nesse  emblemático caso  em condições de  desmentir o mote de que no Brasil só os ladrões de galinha vão para a cadeia. Assistir de braços cruzados a negação de todo o esforço que ia redimindo as instituições democráticas,  de jeito nenhum.
Em termos jurídicos, seria a falência da Justiça, como,  aliás,  todo mundo pensava antes da instauração do processo do mensalão. Em termos políticos, pior ainda: será a demonstração de que o PT  pode tudo,  a um passo de tornar-se  partido único num regime onde   prevalecem interesses de grupos encastelados no poder. Afinal, a condenação de companheiros de alto quilate, por corrupção, ia revelando as entranhas da legenda que um dia dispôs-se a recuperar o país, mas cedeu às imposições do fisiologismo.
Teria a mais alta corte nacional mecanismos para impedir esse vexame? Rejeitar liminarmente os embargos não dá, mas apreciá-los em conjunto pela simples reafirmação de sentenças exaustivamente exaradas, quem sabe? Declaratórios ou infringentes, os recursos compõem  a conspiração dos derrotados. [Fonte]
A mim não me surpreenderá nada, se Joaquim Barbosa tomar essas atitudes, porque Joaquim Barbosa age como o palhaço do dito popular cuja a alegria é ver o circo pegar fogo.


Madame Flaubert, de Antonio Mello

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Mello!
    Li o que o Carlos Chagas arrotou (ou cagou?). Não dá para acreditar em
    nada! O cara me fala que o STF salvou a Justiça brasileira!
    que o PT pode tudo e vai virar partido único!
    De onde ele tirou essa merda toda?
    Desculpe a indignação. Mas cá prá nós, depois daquela palhaçada de ontem, a
    melhor coisa para o Brasil seria a renúncia dele mesmo., Vai morar em
    Miami, no seu apto de um milhão!
    Abraços
    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. O Tribunal é um colegiado. Cada membro tem um voto e todos os votos tem o mesmo valor jurídico, prevalecendo a vontade da maioria. O livre convencimento racional é garantido por Lei a cada um dos Ministros e nenhum pode exigir subserviência dos demais. Se JB acredita realmente que seu voto vale mais que o dos seus pares ou que os outros Ministros tem que se submeter à vontade dele, sua renúncia será bem vinda. Não sentiremos falta dele.

    ResponderExcluir
  3. Até deixei de lado o assunto "renúncia do supremo mandão" para reparar no texto. Isso aí foi escrito pelo pai de Helena Chagas?
    Pergunta: e o que faz essa mulher à frente da SECOM em governo petista?

    ResponderExcluir
  4. Anônimo16.8.13

    Já vai tarde Joaquim.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade, a renuncia teria como objetivo ele poder se filiar a um partido político até o prazo legal de 31 de setembro deste ano para poder CONCORRER A PRESIDENTE NO ANO QUE VEM. Ele dá uma de "indignado" com a farsa do mensalão, renuncia ao cargo de ministro, porque juiz não pode ser filiado a partido político, e assim, no ano que vem, os coxinhas finalmente poderão votar no seu "Adolf hitler de Ébano"...

    ResponderExcluir
  6. Anônimo17.8.13

    Pai da tal Helena Chagas da SECOM?

    Isso explica porque aquilo é um antro que entope o PiG de dinheiro público...

    No mais o JB é a prova de como anda o judiciário do país, ele e mais alguns que o acompanham. E ainda querem que eu acredite na justiça brasileira e na velha mídia.









    .
    .
    .

    Helder

    ResponderExcluir
  7. Joaquim Barbosa, DEM/PSDB e EUA/OTAN desejam a mesma coisa expressa pelo principal jornal de Santa Catarina, que não por acaso pertencente a uma empresa associada à Rede Globo e publicou na seção de leitores, no dia seguinte às grandes manifestações de 20 de junho, uma carta em que desejou que acontecesse com Dilma Rousseff, no Brasil, o mesmo triste fim que teve Muamar Kadafi, na Líbia. >--> http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=1&id_noticia=220796

    ResponderExcluir
  8. Leio somente agora esta estultice. É puro factoide, no melhor estilo Cesar Maia. Este jagunço da direita, chamado Joaquim, na verdade quis pressionar seus pares a não aceitarem os embargos com esta ameaça tosca, bem de acordo com seu caráter. Como ele não pode mais sair a partir pra porrada, como tentou com Eros Grau, porque já está ficando difícil para seus mandatários justificarem na mídia seu temperamento, lança este factoide como quem diz: Se eu renunciar a população vai se revoltar, porque eu sou o herói nacional deles. Embora careca, haja topete!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...