terça-feira, 18 de abril de 2017

Irritado com número de testemunhas em favor de Lula, Moro o obriga a comparecer a 87 audiências e parar de viajar pelo país



Num julgamento, a defesa expõe seus argumentos, apresenta suas testemunhas em favor de seu cliente. A acusação faz o mesmo, em sentido contrário. E o juiz, ouvindo os dois lados, forma sua convicção para proferir a sentença.

Não é assim com o juiz Moro, pelo menos em relação ao específico caso envolvendo o ex-presidente Lula. O justiceiro de Curitiba aparentemente se irritou com as 87 testemunhas de defesa elencadas pelos advogados de Lula e resolveu punir o ex-presidente obrigando-o a comparecer a todas as audiências.

“Já que este julgador terá que ouvir oitenta e sete testemunhas da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, além de dezenas de outras, embora em menor número arroladas pelos demais acusados, fica consignado que será exigida a presença do acusado Luiz Inácio Lula da Silva nas audiências nas quais serão ouvidas as testemunhas arroladas por sua própria Defesa, a fim prevenir a insistência na oitiva de testemunhas irrelevantes, impertinentes ou que poderiam ser substituídas, sem prejuízo, por prova emprestadas”, determinou Moro. [Fonte: Estadão]

Aparentemente é só uma disputa de poder, em que o juiz de primeira instância de Curitiba quer se ombrear com o presidente mais popular da história do Brasil e uma das figuras políticas mais importantes da atualidade no mundo.

Mas, se a gente levar em conta que até o Datafolha anda sondando o nome de Moro em suas pesquisas visando as eleições presidenciais do ano que vem e somar a isso o fato de que o comparecimento de Lula às 87 audiências vai obrigá-lo a ficar quase que ilhado em Curitiba, sem poder levar sua mensagem ao povo brasileiro, é possível imaginar que haja mais do que irritação na atitude de Moro.

Prender Lula em Curitiba, ao menos por enquanto apenas fazendo-o comparecer às audiências, e colocando-se como o anti-Lula, Moro faz o jogo dos que o projetam como futuro candidato a fazer frente ao ex-presidente.

A verdade é que o julgamento de Lula por Moro é cada vez menos jurídico e mais político - agora até mesmo político eleitoral -, o que o torna suspeito de julgar o ex-presidente, pois com uma canetada tem o poder de atrapalhar ou até mesmo barrar a candidatura de Lula.

Uma ilegalidade só possível num país em que o STF está sob golpe, por omissão ou compactuação.

Apoie o Blog do Mello. Saiba como


Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. A saída NÃO é esperar as eleições de 2018. Nem sabemos se elas irão ocorrer! A saída é lutar por DIRETAS JÁ, para todos os cargos!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, e ninguém (aqueles que podem) faz absolutamente nadica de nada! E assim a coisa segue...
    A defesa de Lula não vai reagir, vai aceitar mais este ato truculento e ilegal? Afinal, comparecer às oitivas de testemunhas não é uma obrigação do acusado, a lei lhe faculta ou não o comparecimento. Vão deixar por isso mesmo? Não cabe uma ação contrária, mesmo que junto aos STJs e STFs que temos hoje?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...