segunda-feira, 24 de julho de 2017

Procuradores acham pouco o que ganham (em SP, R$ 56 mil/mês) e querem aumento de 16%. E ladrão é o Lula



Provavelmente para poderem pagar mais aulas de PowerPoint ou fazer como Dallagnol e comprar para especulação apartamentos do Minha Casa Minha Vida destinados à habitação popular, os procuradores estão querendo um aumento de 16% nos seus vencimentos:

A menos de dois meses de assumir o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR), Raquel Dodge enfrentará amanhã seu primeiro constrangimento com os colegas desde que foi escolhida para o cargo. Integrante do Conselho Superior do Ministério Público, ela terá que se posicionar sobre um pedido de reajuste salarial de 16% para os procuradores.

O pleito foi encaminhado no dia 11 pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), entidade responsável pela lista tríplice que a cada dois anos indica o titular da PGR. Em um documento de 12 páginas, o presidente da ANPR, José Robalinho Cavalcanti, solicita que o aumento de salário seja incluído no orçamento de 2018 do Ministério Público da União. [Fonte: Valor]




Realmente, com a inflação próxima a zero, o país parado, 15 milhões de desempregados, os procuradores querem que a nova PGR (assumirá em setembro) coloque um ligeiro aumento de 16% (superior até ao aumento do lucro dos bancos no trimestre, quanta audácia!) em seus vencimentos.

Ganham mal os procuradores?

Não, como mostra o Brito no Tijolaço, a partir de uma tese de doutorado, a pesquisadora prova que, em média, os procuradores do MP-SP ganharam R$ 56 mil por mês em 2015, sem contar 13º e férias.

Fui atrás da tese de doutorado da jurista Luciana Zaffalon. Disponível aqui, encontrei um longo e meticuloso trabalho sobre os perfis carcerários e da administração da Justiça, que desemboca nas  relações entre o sistema judicial e os governos tucanos, uma completa simbiose.
Lá, há este gráfico dos vencimentos médios do Ministério Público – por falta de transparência, não há o mesmo detalhamento em relação aos juízes, mas certamente se assemelha – que é estarrecedor.
97% dos membros do MP paulista  ganham mais que o teto constitucional ( constitucional, Doutor, vem de Constituição, aquela “leizinha”). Para evitar dúvidas, transcrevo, literalmente, o texto da pesquisadora:
Verificamos que 1.860 das 1.920 matrículas que constituíram o universo da análise registraram rendimentos mensais médios acima do teto constitucional em vigor no ano de 2015, de R$ 33.763,00135.  Apenas 60 registros dos 1.920 não superaram esse valor (3,1%). O rendimento médio mensal dos membros da carreira do Ministério Público em 2015 foi de R$ 46.036,30, sem contabilizar 13º salário e férias.
Frise-se, sem contabilizar  13º salário e férias. E, mesmo sem poder detalhar os dados, o trabalho mostra que, pelos dados do Conselho Nacional de Justiça apontavam valor semelhante em relação aos juízes paulistas,  em relatório que indica o valor de R$ 45.906,00 o custo médio por magistrado, em 2015.
Luciana Zaffalon faz uma comparação para que se possa comparar quem ganha mais do que o teto constitucional: 0,08% da população do Brasil e 0,10% no Estado de São Paulo, segundo dados da Pesquisa Nacional por Análise Domiciliar (Pnad). [Fonte: Tijolaço]
É como digo no título: E ladrão é o Lula... Os caras se aproveitam de um golpe de estado, um presidente mais sujo do que pau de galinheiro, cercado por outros tantos tão ou mais sujos, e partem para sugar ainda mais dos cofres públicos.

Francamente, R$ 56 mil por mês para procuradores É ROUBO.

Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...