sábado, 19 de outubro de 2019

Dallagnol mente para provocar pânico na população e pressão sobre o Supremo

Mentiras de Dallagnol no Twitter


Como vem mostrando a Vaza Jato, para defender suas ideias Dallagnol é capaz de qualquer coisa


Em seu perfil no Twitter, o procurador de deus Deltan Dallagnol busca tocar o terror na população, diante da possibilidade de o STF terminar com a prisão após a segunda instância.

Segundo Dallagnol, isso provocaria a liberdade imediata de homicidas, traficantes, estupradores, além dos corruptos - o que sabe que é mentira.

Mentiu também quanto ao alcance das pessoas que teoricamente poderiam se beneficiar da nova interpretação do STF (que na realidade de nova não tem nada, é só uma volta ao que diz a cláusula pétrea da Constituição). Dallagnol fala em 190 mil presos e na verdade são 4,8 mil, uma diferença de mais de 185 mil... Erro este que Dallagnol corrigiu em outro tuíte, mas somente sete horas após a informação mentirosa dos 190 mil ter corrido a internet.

Dallagnol sabe também (ou deveria saber) que nenhum preso que ponha em perigo a segurança pública vai ser solto, porque a medida do STF não atinge a prisão preventiva a que estão sujeitos esses presos perigosos.
O que espanta em relação a Dallagnol é a cara de pau que ostenta, como se ainda tivesse alguma autoridade para ser ouvido, depois dos fatos que a Vaza Jato trouxe à tona. Ele já deveria ter sido afastado das funções, preventivamente.

Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Lula não convidou Marta para o PT, muito menos para ser prefeita pelo partido. Veja e ouça o que disse Lula sobre Marta


"Um partido político não tem um cadeado na porta. Tem compromissos ideológicos", Lula


Provocado pelo jornalista Leonardo Sakamoto numa entrevista, Lula disse que não gostaria que Marta tivesse saído do PT. Que tem boa relação pessoal com ela. Também que ela é a prefeita mais bem avaliada em pesquisa. Que da mesma forma que ela entrou, saiu, se quiser voltar, deve conversar com o partido.

Daí a fazer convite para que ela volte ao PT e mais ainda, que seja a candidata do PT à prefeitura de São Paulo no ano que vem vai uma distância muito grande.

O movimento de Lula é no sentido de embaralhar o jogo em São Paulo, pois há uma conversa de uma possível candidatura de Marta pelo PDT, o que daria palanque para Ciro Gomes.

Lula está de olho em 2020, mas mais de olho ainda em 2022.

Assista a seguir ao trecho da entrevista em que Lula fala sobre Marta.


Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Dilma critica jogo sujo da Lava Jato para influenciar seu impeachment

Temer com manchete do El País sobre Vaza Jato

Vaza Jato mostra que Lava Jato ignorou delação contra Temer para não prejudicar impeachment de Dilma


Nova reportagem da Vaza Jato, desta vez uma parceria do Intercept com o El País, mostra que procuradores da Lava Jato preferiram ignorar a delação de um empresário que ligava o à época vice-presidente Michel Temer a corrupção às vésperas da votação do impeachment de Dilma. O objetivo era não atrapalhar o processo, que acabou tirando Dilma da presidência e colocando o delatado por corrupção em seu lugar.

A presidenta escreveu sobre o assunto em seu site.
As novas revelações da Vaza Jato que vieram a público nesta sexta-feira, 18 de outubro, por intermédio do El País Brasil, em parceria com The Intercept Brasil, confirmam o caráter político e  persecutório dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato no suposto combate à corrupção. A alegada “falta de interesse público”, que levou os integrantes da República de Curitiba a descartarem por conveniência política a colaboração de um delator, reforça a trama e desmascara o conluio de procuradores para interferir no cenário político nacional, corroborando o Golpe de Estado que me tirou da Presidência da República há três anos.
Pior, ao se recusarem sequer a apurar o caso, procuradores permitiram à ascensão ao poder de Michel Temer e da banda podre do PMDB – mesmo sob forte suspeita e indícios de corrupção que os assombravam. Aqueles que deveriam defender a lei manietaram uma denúncia que, em 2018, acabaria sendo aceita pela Justiça Federal do Rio.
Para espanto geral, sabemos agora que os integrantes do MPF esconderam da opinião pública informações que dificultariam o meu impeachment e jogariam luz na conspiração política que se desenhava no Congresso com apoio de setores da mídia nacional e de parte de empresários brasileiros.
Três anos depois do Golpe de 2016, que feriu a democracia e desprezou o voto de 54,5 milhões de brasileiros que me elegeram presidente em 2014, a verdade – mesmo a conta-gotas – insiste em vir à tona, desvelando o jogo sujo e mostrando o papel de agentes públicos na corrosão institucional que assola desde então o país.
Por ocasião do meu afastamento, em 1º de setembro de 2016, eu disse que a história seria implacável com os que se julgavam vencedores.
Agora, a porta da verdade está finalmente sendo aberta e a verdade emerge mostrando a colaboração promíscua entre a Lava Jato e suspeitos que ela deveria investigar.


Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Prêmio Nobel de Economia critica Trump, mas parece estar falando de Bolsonaro. Confira

Bolsonaro e Trump

Paul Krugman critica em Trump comportamentos iguais aos de Bolsonaro


Bolsonaro já disse ailoveiú pra Trump, já ficou esperando uma hora por um simples aperto de mão do presidente dos Estados Unidos; seu filho, Eduardo, já botou na cabeça um boné defendendo a reeleição de Trump e quer ser embaixador do Brasil nos EUA para ficar mais pertinho dele (e dos interesses dele e dos EUA).

O mimetismo dos Bolsonaro com Trump é de tal ordem que se você que me lê trocar a palavra Trump por Bolsonaro no texto a seguir, do Prêmio Nobel de Economia Paul Krugman, publicado no The New York Times e traduzido aqui por Paulo Migliacci na Folha, vai ver a incrível semelhança entre os dois - ao menos nos defeitos. Confira.
A coisa surpreendente sobre a crise constitucional que enfrentamos no momento é que tenha demorado tanto tempo a acontecer. Era óbvio desde o começo que o presidente dos Estados Unidos [do Brasil] seria um autocrata que não aceitaria limites ao seu poder e consideraria críticas uma forma de traição, e que ele contaria com o apoio de um partido que há muitos anos vem negando a legitimidade da oposição.

Algo como o momento atual era inevitável. O que ainda resta decidir é o resultado. E se a democracia sobreviver –o que de forma alguma é certeza–, isso acontecerá em boa medida por uma dose inesperada de boa sorte: a deficiência mental de Donald Trump. [Bolsonaro]

Não quero dizer que Trump
[Bolsonaro] é estúpido; um homem estúpido não teria conseguido fraudar tantas pessoas por tantos anos. E nem quero dizer que ele é louco, ainda que seus discursos e tuítes ("minha grande e incomparável sabedoria"; os curdos não tomaram parte nos combates do Dia-D) continuem a parecer cada vez mais lunáticos.

Ele é preguiçoso, no entanto, completamente desprovido de curiosidade e inseguro demais para ouvir conselhos ou admitir um erro que seja. E se levarmos em conta que Trump 
[Bolsonaro] é aquilo que acusa muitas outras de serem –um inimigo do povo–, deveríamos ser gratos por suas falhas.

O item noticioso que me levou a pensar sobre isso foi, estranhamente, a mais recente revisão orçamentária do Serviço Orçamentário do Congresso, que projeta um déficit fiscal de quase US$ 1 trilhão (R$ 4,1 trilhões) para 2019 –cerca de US$ 300 bilhões acima do déficit que Trump herdou.

Pouco importa a demonstração clara de que o frenesi dos republicanos da era Obama quanto aos déficits era uma completa hipocrisia. O ponto mais importante é que US$ 300 bilhões é muito dinheiro, e deveria ter bastado para comprar muitos ganhos políticos para Trump.

Afinal, outros nacionalistas brancos que estão tentando fazer a mesma coisa que Trump
[Bolsonaro]está tentando fazer –subverter o Estado de Direito e transformar suas nações de democracias formais em autocracias monopartidárias, para todos os fins práticos– solidificaram seu domínio do poder ao cumprir pelo menos algumas de suas promessas populistas. Na Polônia, por exemplo, o Partido Justiça e Paz aumentou os gastos sociais e agora está prometendo um grande aumento no salário mínimo.

No entanto, a política econômica de Trump
[Bolsonaro] vem sendo a guerra de classes tradicional republicana das classes altas contra as classes baixas. Parte alguma dos US$ 300 bilhões foi convertida em benefícios sociais ou mesmo no plano de infraestrutura que ele promete continuamente mas nunca apresenta. Em lugar disso, o dinheiro foi usado para reduzir os impostos das empresas e dos ricos, e isso pouco fez para estimular o investimento.

Ao mesmo tempo, Trump
[Bolsonaro] levou adiante sua obsessão pessoal com tarifas a despeito de crescentes indicações de que isso está prejudicando o crescimento. A economia deveria ser o grande ponto de venda para ele, em termos políticos. Em lugar disso, as pesquisas sobre seus índices de aprovação na política econômica mal saem do vermelho, em média, e devem piorar à medida que as tarifas sobre bens de consumo se fizerem sentir e a economia se desacelerar.

Mas as oportunidades econômicas desperdiçadas por Trump são evidentemente secundárias, a esta altura, diante do impeachment que corre contra ele.

Algumas semanas atrás, parecia que Trump escaparia de acusações quanto ao seu conluio com a Rússia para subverter a eleição de 2016, e por obstrução da Justiça; o relatório Mueller foi basicamente um fiasco, em parte porque a história era complicada, em parte porque Mueller hesitou.

Mas Trump conseguiu deixar as coisas claras a ponto de qualquer pessoa entender. Primeiro exigiu que regimes estrangeiros obtenham informações negativas sobre rivais na política nacional, não só em telefonemas mas até diante das câmeras. Agora, está envolvido em um esforço cru e óbvio para bloquear o inquérito de impeachment da Câmara, e isso por si só constitui um delito passível de impeachment.

Por que ele está dando tanta munição aos defensores da democracia? Em parte ele parece ter acreditado nas próprias bobagens –ele parece levar a sério as bizarras teorias de conspiração que seus partidários alardeiam para justificar suas ações. E também é evidente que lhe falta qualquer autocontrole. Mesmo que considere que qualquer esforço para responsabilizá-lo por seus atos constitui uma forma de traição, ele deveria ter evitado fazer essa acusação em público.

Por isso, as ações de Trump explicam por que uma votação que autorize seu impeachment, algo que parecia altamente improvável semanas atrás, agora se tornou praticamente inevitável. Continua improvável que o Senado o condene, mas isso deixou de ser tão impossível quanto no passado.

O ponto mais importante é que, se Trump
[Bolsonaro] fosse mais astuto e tivesse mais autocontrole, talvez fosse impossível deter a marcha para a autocracia. Ele tem o apoio de um partido cujos representantes eleitos não mostraram qualquer sinal de escrúpulos democráticos. Conta para todos os efeitos com uma mídia estatal, na forma da Fox News e do restante do império Murdoch de mídia. Já conseguiu corromper agências governamentais importantes, entre as quais o Departamento da Justiça.

De fato, essas vantagens são tão grandes que um ataque à democracia ainda pode sair vitorioso. O único motivo para que isso não aconteça, repito, são as deficiências de Trump
[Bolsonaro].
É muito revelador que o partido republicano atual continue a apoiar solidamente um homem evidentemente inapto, de forma até grotesca, para seu posto (ainda que alguns membros da base republicana agora apoiem o inquérito de impeachment). Mas aqueles de nós que desejam a sobrevivência dos Estados Unidos [Brasil] tais como os conhecemos deveriam estar gratos pela imaturidade e incompetência de Trump
[Bolsonaro]. Suas falhas de caráter são a única coisa que nos dá uma chance de vencer.


Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Vaza Jato permite ao Supremo finalmente votar ações sobre prisão sem que estejam esgotados todos os recursos

Glenn e Vaza Jato

Revelações da Vaza Jato fragilizaram Lava Jato, e pressão da mídia e generais não têm mais a mesma força sobre STF


A série de reportagens do The Intercept Brasil, em parceria com outros veículos, mostrando o submundo da Lava Jato, com juiz e procuradores atuando em conluio, enfraqueceu a posição não apenas do ex-juiz Moro, mas também dos procuradores da república de Curitiba, especialmente o procurador de deus, Deltan Dallagnol.

Graças à pressão deles, da mídia e do general Villas Boas, na época comandante do Exército, a votação sobre a legalidade da prisão em segunda instância vem sendo adiada há quase dois anos por um Supremo acuado pela opinião pública manipulada.

 Blog do Mello, há 14 anos direto do Rio remando contra a maré. Leia mais...

Hoje finalmente, começa o julgamento no STF, que deve durar algumas sessões, e novamente sob pressão de Moro, Dallagnol e procuradores, e até do general Villas Boas, não mais comandante do Exército, mas simples funcionário de Bolsonaro. Em seu perfil no Twitter,  Villas Boas fez ameaças veladas aos ministros.

Ameaças que hoje têm efeito contrário, a não ser naqueles que são da turma da Lava Jato - Fux (we trust), Fachin (aha uhu) e o pavão do Supremo, o ministro Barroso, que deve ter preparado um voto de seis horas em defesa do combate à corrupção, sem citar que corrupta é também a Justiça, quando se dobra à pressão da mídia ou dos generais e quando aceita a prisão de um homem que poderia estar presidindo o país, se não fosse sua prisão política.

Ao fim, o país volta à rota de onde não deveria ter se afastado, o do respeito à cláusula pétrea da Constituição que diz que ninguém pode ser considerado culpado até que tenham se esgotado todos os recursos de sua defesa.



Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Maior sindicato dos EUA premia Lula e pede liberdade imediata do ex-presidente

Richard Trumka em Curitiba

AFL-CIO dá a Lula o Prêmio George Meany-Lane Kirkland de Direitos Humanos de 2019


O presidente do maior sindicato dos Estados Unidos, AFL-CIO, Richard Trumka (UMWA),viajou a Curitiba para entregar Prêmio de Direitos Humanos a Lula.

Em seu site, o sindicato publicou texto de Brian Finnegan narrando a visita e o trabalho do presidente e sua luta por liberdade.
Imagine um presidente tirando 40 milhões de cidadãos da pobreza. Imagine um presidente tornando mais fácil para os excluídos de seu país obter empregos decentes, serviços públicos básicos, educação universitária ou ensino técnico. Imagine um presidente elevando seu país no cenário mundial como um modelo de prosperidade compartilhada e uma economia que funciona para os trabalhadores, independentemente de sua raça. Imagine esse presidente deixando o cargo após dois mandatos com um índice de aprovação superior a 80%. Onde você acha que o presidente deveria estar nove anos depois de deixar o cargo?

Imaginando ou não, o presidente descrito acima está na prisão, injustamente condenado para impedi-lo de concorrer novamente em 2018 - mesmo liderando todas as pesquisas. O nome dele é Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente da AFL-CIO, Richard Trumka (UMWA), viajou a Curitiba, Brasil, esta semana, juntando-se ao movimento trabalhista global para exigir a libertação de Lula e apresentar ao ex-presidente do país o Prêmio George Meany-Lane Kirkland de Direitos Humanos de 2019. O AFL-CIO anunciou o prêmio em março em reconhecimento ao trabalho de Lula ao longo da vida. No Brasil, nesta semana, o AFL-CIO estendeu sua solidariedade e apoio a Lula a todo o movimento trabalhista brasileiro e aos ativistas e grupos sociais e políticos do país que continuam lutando por uma vida melhor e justiça social.

Trumka disse:

    O AFL-CIO e seus sindicatos trabalharão para envolver os trabalhadores americanos e suas famílias para lembrar como é ter um presidente que trabalha para o povo. A luta para libertar Lula e defender a democracia no Brasil não é apenas dos brasileiros, mas de todos nós.

    Lula Livre! Free Lula!

Lula disse:

    Eles estão falando sobre aliviar minha sentença ou me deixar terminar em prisão domiciliar, mas eu insisto que continuarei nesta prisão até provar minha inocência. Não trocarei minha dignidade por minha liberdade. E continuarei lutando por todos os brasileiros e por nossa democracia. Vamos provar que os juízes, promotores e meios de comunicação mentiram para me colocar aqui e roubar nossa democracia. Vamos trazê-la de volta.

Lula é um prisioneiro político por todo o bem que fez para tornar o desenvolvimento mais equitativo no Brasil, melhorando os direitos dos trabalhadores e a inclusão e acesso aos direitos sociais e humanos, em geral. A AFL-CIO, seus sindicatos, Confederação Internacional dos Sindicatos e o movimento trabalhista global estão pedindo a libertação imediata de Lula pelo trabalho de sua vida pela democracia e justiça social e por causa das muitas ilegalidades cometidas no processo que o colocou na prisão . [Original aqui, em inglês]


Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Deputada do PSL de Bolsonaro confessa que laranjal elegeu candidatos do partido

Deputada Dra. Soraya Manato

Deputada do PSL confirma esquema de laranjas do Partido


A Deputada Dra. Soraya Manato, do PSL do Espírito Santo, Partido da família Bolsonaro, Jair, Flávio e Eduardo, confirmou no Plenário da Câmara que houve caixa dois e corrupção no partido e que o esquema do laranjal elegeu alguns filiados, sem citar nomes.
"Não tem ninguém santo aqui dentro não, tá? Tem laranja em tudo quanto é partido. Aqui no PSL tiveram (sic) os candidatos laranja, mas a grande maioria foi eleita honestamente".
Confira a confissão da deputada nesta postagem do Twitter a seguir:


Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Macri dá uma de Bolsonaro e enterra sua candidatura de vez

Macri dá adeus

Declaração machista de presidente argentino cai como bomba no cenário eleitoral


No desespero de quem vê a reeleição cada vez mais distante à medida em que se aproxima a data da eleição presidencial na Argentina, 27 de outubro, o presidente Macri deu uma declaração machista a la Bolsonaro a uma rádio local, tentando atingir a ex-presidente e candidata a vice este ano Cristina Kirchner:
"O populismo é como quando você passa a administração da casa a sua mulher e, em vez de pagar as contas, ela usa o cartão de crédito".
E diz isso o homem que quebrou a Argentina, que vive de joelhos para o FMI, com desemprego e miséria nas ruas do país.

Todas as pesquisas de intenção de voto dão vitória por larga margem ao candidato Alberto Fernandez, companheiro de chapa de Cristina Kirchner, que já venceu as primárias em agosto e deve ser eleito em primeiro turno.

Num país que tem orgulho de suas mulheres, que tem como mito Evita Perón, o país das Mães da Praça de Maio, foi um tiro no pé, o último prego no caixão de sua candidatura.

Confira no vídeo abaixo.




Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

'Rosto negro, sangue índio, corpo de mulher, Moleque pelintra do Buraco Quente, Meu nome é Jesus da Gente'. É Mangueira 2020

O casal Luis Carlos Máximo e Malu da Cuíca

Samba-enredo da Mangueira 2020


O casal Luis Carlos Máximo e Malu da Cuíca levou pela segunda vez seguida o samba-enredo da Mangueira.

O samba certamente ainda vai ser ajustado na quadra, nos ensaios com a bateria, os sambistas e os demais compositores da escola. Mas a letra de Malu da Cuíca é espetacular.

Nela, fica claro o desenho do desfile da Escola, uma crítica clara à intolerância religiosa, ao desvirtuamento das palavras do Cristo, ao "Messias de arma na mão", referência direta ao presidente (eleito mediante fraude) Jair Messias Bolsonaro e sua defesa das armas e da violência, ao mesmo tempo em que se diz cristão.

Mangueira
Samba que o samba é uma reza
Se alguém por acaso despreza
Teme a força que ele tem
Mangueira
Vão te inventar mil pecados
Mas eu estou do seu lado
E do lado do samba também
Eu sou da Estação Primeira de Nazaré
Rosto negro, sangue índio, corpo de mulher
Moleque pelintra do Buraco Quente
Meu nome é Jesus da Gente

Nasci de peito aberto, de punho cerrado
Meu pai carpinteiro desempregado
Minha mãe é Maria das Dores Brasil
Enxugo o suor de quem desce e sobe ladeira
Me encontro no amor que não encontra fronteira
Procura por mim nas fileiras contra a opressão
E no olhar da porta-bandeira pro seu pavilhão
Eu tô que tô dependurado
Em cordéis e corcovados
Mas será que todo povo entendeu o meu recado?
Porque de novo cravejaram o meu corpo
Os profetas da intolerância
Sem saber que a esperança
Brilha mais que a escuridão
Favela, pega a visão
Não tem futuro sem partilha
Nem Messias de arma na mão
Favela, pega a visão
Eu faço fé na minha gente
Que é semente do seu chão
Do céu deu pra ouvir
O desabafo sincopado da cidade
Quarei tambor, da cruz fiz esplendor
E num domingo verde-e-rosa
Ressurgi pro cordão da liberdade




Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos

Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Moro usa PF em favor de Bolsonaro em operação de busca na casa do presidente do PSL

Bivar Operação PF


Luciano Bivar é alvo de buscas da PF no caso dos laranjas do PSL, partido de Bolsonaro

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (15) mandados de busca e apreensão em endereços em Pernambuco ligados ao deputado federal Luciano Bivar, presidente do PSL, em investigação sobre o esquema das candidaturas de laranjas. [Folha]
Para usar metáfora tão ao gosto do presidente, fica cada vez mais evidente o casamento de interesses entre Moro e Bolsonaro.

Bolsonaro mantém Moro ao abrigo da Justiça, com o foro de ministro, enquanto Moro põe a PF para agir (caso do presidente do PSL agora) ou cruzar os braços (caso Queiróz).

Após Bolsonaro criticar Bivar e ameaçar sair do PSL e Bivar em troca dizer ao blog da jornalista Andréa Sadi: “A fala dele (Bolsonaro) foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, a guerra foi declarada e Moro posto pra trabalhar em favor de Bolsonaro, numa típica operação de cunho político, como as que o ex-juiz usava em seus tempos da Lava Jato.

Bolsonaro quer se afastar do PSL, que investigações já provaram estar envolvido em corrupção política nas eleições passadas, que pegam inclusive a campanha de Bolsonaro em Minas.

A operação da PF na casa de Bivar não é para encontrar nada (Bivar não é bobo de ter algo em casa que o incrimine), mas é apenas para mandar o aviso de Bolsonaro a ele de que quem manda na PF de Moro é Bolsonaro, talquei?

Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Gilmar Mendes: 'Lula merece um julgamento justo'

Mendes com Bial

No Programa do Bial, ministro defende julgamento justo para Lula


Pra bom entendedor meia palavra bas-.

O que fica claro no comentário a seguir, feito pelo ministro do STF Gilmar Mendes sobre a necessidade de um julgamento justo para Lula é que já há maioria no STF em favor da anulação da sentença de Moro e de um novo julgamento para o ex-presidente Lula, em que seja feita Justiça.

Mendes é antigo na Casa e não faria uma afirmação dessas sem conhecimento dos bastidores do STF.

Significa liberdade para Lula? Não, significa que o ex-presidente terá direito a um julgamento justo, onde pode vir a ser condenado, caso sejam encontradas provas de que ele cometeu crime, e não por delação sem provas e reportagem de O Globo e por um crime indeterminado.



Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog
Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento




Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.