quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Carnaval anticorrupção da Beija-Flor tem como patrono bicheiro dono do triplex de Roberto Marinho na praia de Copacabana



Tempo estimado de leitura: 45 segundos

Muita gente percebeu a ironia de uma escola de samba sair com um enredo de combate à corrupção tendo como patrono um bicheiro, o Anísio da Beija-Flor.

O que muita gente não sabe é que esse mesmo Anísio é o dono do triplex da Avenida Atlântica, de frente para o mar de Copacabana, que pertenceu a Roberto Marinho, patrono da Rede Globo.

A Beija-Flor conseguiu separar a corrupção do bicheiro como Roberto Marinho e seus herdeiros conseguiram separar dinheiro de bicheiro de dinheiro limpo, na hora em que decidiram vender o triplex a Anísio. Ou alguém acha que a Globo, seu patrono e herdeiros,  aceitaria dinheiro de contravenção?...

Há seis anos, o jornal Extra, do grupo Globo, chegou a ironizar o patrono da Beija-Flor, quando ele, em uma de suas prisões, às vésperas do Carnaval, foi fotografado com uniforme de presidiário. Na primeira página colocaram a manchete sacana: "Anísio já tem fantasia" [veja imagens acima, com o destaque].

Na época, comentei aqui:

Em editorial comentado aqui, O Globo diz que banqueiros do bicho são criminosos. Como justificar que triplex de Roberto Marinho tenha sido vendido a um deles?

Como separar o dinheiro sujo da contravenção e de sangue dos homicídios (também denunciados no editorial de O Globo) do usado para comprar o triplex de Roberto Marinho?


Clique aqui e passe a receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos

Assine a newsletter do Blog do Mello

2 comentários:

  1. Se investigarem as vidas de 100% dos grandes MAGNATAS BRASILEIROS, aqueles que nem mesmo a justiça consegue investigar, por eles pagam muito bem, por for, para se verem kivres de quaisquer acusações, teremos uma grande surpresa, pois a maioria dele só é o que é por foram ou são sonegadofres de impostos, contraventores, corruptos ou qualquer outra modalidade de bandidagem que ajude enriquecer.

    ResponderExcluir
  2. Tem razão, John.Jahnes. Falo isso desde que me conheço como gente: nenhum biliardário brasileiro o é trabalhando. Todos, sem exceções, conseguiram suas fortunas via sonegação, maracutaias mil, roubos, contas em paraísos fiscais, caixas 2, 3, 4, etc...
    Ninguém, eu digo sem medo de errar, ninguém fica bilionário trabalhando.

    ResponderExcluir