segunda-feira, 7 de maio de 2018

Nesta terça, 8 de maio, julgamento de Moro no CNJ está marcado novamente. Zavascki já o condenou. E o CNJ, finalmente, vai julgá-lo?

Print da página de julgamentos do CNJ com destaque para o nome do juiz Moro

Tempo estimado de leitura: 55 segundos

É nesta terça, 8 de maio, o julgamento do juiz Moro no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) [imagem] pela divulgação ilegal do grampo também ilegal de uma conversa entre o ex-presidente Lula e a presidenta na época Dilma Rousseff.

Há dois anos o justiceiro de Curitiba segue impune, com constantes adiamentos e sumiços dos processos sem justificativa. Vamos ver se desta vez será julgado enfim e qual o resultado do julgamento.

É bom lembrar que o ex-ministro do STF Teori Zavascki (morto em acidente aéreo até hoje não esclarecido) condenou o juiz Moro, disse que sua atitude feria a Constituição e na época retirou o processo de suas mãos:

“Não há como conceber, portanto, a divulgação pública das conversações do modo como se operou, especialmente daquelas que sequer têm relação com o objeto da investigação criminal. Contra essa ordenação expressa, que — repita-se, tem fundamento de validade constitucional — é descabida a invocação do interesse público da divulgação ou a condição de pessoas públicas dos interlocutores atingidos, como se essas autoridades, ou seus interlocutores, estivessem plenamente desprotegidas em sua intimidade e privacidade.” [Fonte: Conjur]

Vamos ver se finalmente Moro será julgado e se os ministros do CNJ vão votar como o ex-ministro Zavascki a favor da Constituição e contra Moro ou não.

Aliás, será julgado ou teremos mais um adiamento?

Esta postagem é cópia atualizada de outra anterior, já que o processo é o mesmo, apenas não foi julgado ainda.


Clique aqui e passe a receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos

Assine a newsletter do Blog do Mello

Um comentário:

  1. E então, a "pelegaiada" "levou o caso" á julgamento, ou tergiversaram Á Verdade, Á Justiça, Á Lei e Ao Direito, novamente???

    ResponderExcluir