domingo, 31 de março de 2019

'Condor, como as ditaduras do Cone Sul se uniram para sequestrar, torturar e assassinar. Documentário premiado completo



(Esta é a semana do 14° aniversário do Blog do Mello. Apoie o blog. Faça uma assinatura ou uma doação na conta: Antonio Mello. Banco do Brasil. ag: 0525-8 conta: 35076-1 CPF: 629305917-49 Obrigado)


Também para "comemorar" o golpe militar de 64, assista na íntegra ao premiado "Condor", de Roberto Mader, que mostra em depoimentos o que foi essa ação entre militares golpistas das ditaduras do Cone Sul.

Condor levou o Prêmio de Melhor Documentário no Festival do Rio de 2007 e os Prêmios Especial do Júri e  Qualidade Artística para a trilha e direção musical de Victor Biglione no Festival de Gramado. 

Como Mader e Victor Biglione são meus amigos, passo a bola da apresentação:

A Operação Condor foi um dos episódios mais sombrios da era das ditaduras militares que comandaram os países da América do Sul na década de 70. Aliança político-militar entre os regimes militares do Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Bolívia e Uruguai, ela foi apontada como responsável por casos de tortura, assassinatos, sequestros e tramas políticas. É nesse vespeiro que o documentarista Roberto Mader lança seu olhar em "Condor", premiado documentário de 2007.

O trabalho de Mader reúne depoimentos e imagens históricas para buscar uma perspectiva atual da operação. Por "perspectiva atual" entenda-se um olhar menos condenatório e mais compreensivo. Devido a essa postura, Mader consegue depoimentos esclarecedores daqueles que estiveram no lado dos algozes, como Jarbas Passarinho, ministro em três governos do regime militar; Manoel Contreras, homem forte do ditador Augusto Pinochet que comandou a polícia secreta chilena; e Augusto Pinochet Hiriart, filho do general Pinochet.

Mader também recolhe falas das vítimas, como Hebe de Bonafini, líder do movimento argentino "Mães da Praça de Maio"; Sara Mendez, que teve o filho Simón, de poucos meses de vida, retirado de sua vida e que só foi reencontrá-lo 25 anos depois; e Victoria Larraberti, uruguaia que foi tirada de seus pais, sequestrados e mortos na Argentina, e entregue a uma família adotiva no Chile. Apesar dessas histórias tocantes, a câmera de Mader evita o sentimentalismo fácil.

Para isso ajuda também a rica pesquisa feita para o documentário. Mader recolheu mais de 50 horas de material de arquivo, além de 45 horas de material filmado especialmente para o documentário. Com isso, o documentário ganha um apelo visual que contribui para assimilar os depoimentos.

"Condor" não fica refém de versões dos entrevistados para atingir o espectador. A edição de imagens de época , neste caso, contribui para dar embasamento visual àquilo que se está narrando.

O resultado final é um trabalho que busca iluminar uma época obscura, mas sem perder o envolvimento humano. Com isso, o documentário consegue transitar entre um certo distanciamento de um olhar histórico e o calor humano de depoimentos tocantes.

Mader construiu uma carreira na Inglaterra, onde dirigiu documentários para a BBC e a Channel 4. Com "Condor", ganhou como Melhor Documentário no Festival do Rio de 2007 e o Prêmio Especial do Júri, no Festival de Gramado, também em 2007. [Resenha escrita por Edilson Saçashima no UOL)

Com seu apoio o Blog do Mello é e vai continuar a ser de livre acesso a todos, e sem propaganda.



Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado