sexta-feira, 31 de julho de 2020

Bolsonaro ofende a China ao chamar nosso maior parceiro comercial de 'aquele outro país'



Em seu trabalho insano e diário de destruir o Brasil, Jair Bolsonaro ofendeu ontem nosso principal parceiro comercial, a China, ao se negar até a pronunciar o nome do país, ao se referir à produção de vacinas contra a COVID-19.
"Se fala muito da vacina da Covid-19. Nós entramos naquele consórcio lá de Oxford. Pelo que tudo indica, vai dar certo e 100 milhões de unidades chegarão para nós. Não é daquele outro país não, tá ok, pessoal? É de Oxford aí."
"Aquele outro país", a China, é o maior parceiro comercial da história do Brasil. Há bastante tempo lidera como nosso principal parceiro internacional, muito bilhões de dólares acima do segundo colocado, a pátria de coração de Bolsonaro, os Estados Unidos.

Dados que retirei do próprio site da presidência da República provam isso:
A China é o maior parceiro comercial do Brasil no mundo. Desde 2009, o país asiático tomou esta posição dos EUA. Segundo o Ministério da Economia, em 2018, este comércio foi de US$ 98,6 bilhões, com superávit para o Brasil de US$ 29,2 bilhões.
São minérios, petróleo e produtos agrícolas que o mercado chinês absorve do Brasil e que, segundo o economista da Escola Nacional de Administração Pública, ENAP, José Luiz Pagnussat, impulsionaram o agronegócio brasileiro. “A China precisa de muitos produtos que o Brasil tem em abundância. O grande sucesso do agronegócio brasileiro se deve muito ao crescimento da demanda chinesa”, ressaltou o economista.
E para além do comércio, a China é um forte investidor na economia brasileira. É o chamado Investimento Estrangeiro Direto(IED), aquele que segue para atividade econômica gerando emprego e renda.  
Segundo o Ministério das Relações Exteriores, junto com o Japão, a China concentra, em território brasileiro, um estoque de investimentos de US$ 100 bilhões em setores como o de telecomunicações, energia e óleo e gás natural. [Fonte: Presidência da República]
Só uma pessoa que vive de emular (com duplo sentido) o presidente Trump pode se referir dessa forma a nosso aliado e parceiro.

Além de ofender a China, Bolsonaro cometeu outro erro ao elogiar o consórcio de Oxford, porque o Brasil ainda não tem nada assinado com Oxford, as vacinas estão em fase de testes e, ao final, pode ser que a gente venha a depender da vacina produzida por "aquele outro país"...

Volto a insistir: enquanto Bolsonaro não for destituído da presidência da República, não haverá saída para o buraco em que o Brasil está metido, porque ele faz de tudo para cavar ainda mais fundo.




Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos




Recentes:


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado