domingo, 13 de janeiro de 2008

Se é do governo, Jornal Nacional critica


O governo lançou novas regras para os planos de saúde, que tornam obrigatórios novos procedimentos, em benefício dos segurados, como a cobertura da mamografia digital para mulheres com menos de 50 anos, a colocação do dispositivo intra-uterino (DIU), a laqueadura de trompas e a vasectomia. Alguns exames de DNA passam a ser cobertos pelos planos. Assim como ressonância, tomografia e novas radioterapias, no tratamento contra o câncer. Até a possibilidade de um parto mais humanizado, inclusive com a presença de um acompanhante durante toda a estada da mulher no hospital, desde o momento do parto até a sua alta.

No entanto, reportagem de sábado do Jornal Nacional começava assim:

A Associação Brasileira de Planos de Saúde afirma que a inclusão de procedimentos anunciada esta semana vai aumentar os custos em mais de 8,5%. Já a classe médica diz que a ampliação da cobertura poderia ser maior.

Ou seja, pau por um lado e pelo outro. Em vez de informar ao distinto público o que a medida do governo vai trazer de benefício para sua saúde, o JN parte para informar que os planos podem ficar mais caros e que a cobertura não é lá nenhuma brastemp...

No final, a mesma coisa. A matéria cita a inclusão de tratamento com psicólogos, nutricionistas e fonoaudiólogos, com até 12 consultas por ano. E arremata com o depoimento de um psiquiatra, que afirma:

“A pessoa acaba tendo uma perspectiva de tratamento que é inviável. Na prática, não vai curar ninguém”.

É, doutor psiquiatra, e quantas consultas são necessárias para a cura? Aliás, que cura é essa? Cura-se uma diarréia, uma pneumonia. Mas é possível usar o conceito de cura em psiquiatria?

Aliás, por que escolheram um psiquiatra? Afinal, as novas regras incluem a possibilidade de tratamento com psicólogos, nutricionistas e fonoaudiólogos.

Será que algumas consultas com um nutricionista não podem fazer toda a diferença na vida de uma pessoa? O mesmo com um fonoaudiólogo? E até 12 consultas (uma por mês) com um bom psicólogo ou psicoterapeuta, que nos auxilie a digerir essa mídia racista, classista, elitista, raivosa e preconceituosa, que tal?

Leia também:

» O Globo estampa seu preconceito contra Lula na primeira página

» Para quem ainda não entendeu que a imprensa trabalha contra o governo Lula

» Ali Kamel: O ‘jornalismo independente’ da ‘grande imprensa’

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...