sexta-feira, 14 de março de 2008

Racistas bolivianos agridem camponeses



Os racistas da província de Santa Cruz, na Bolívia, continuam a agredir indígenas e camponeses. Não é a primeira vez que os denuncio aqui, e um dos vídeos está entre os mais vistos do blog, quando um bando deles ataca um “índio de mierda” (o link segue abaixo).

Agora, eles agrediram camponeses assentados em terras públicas pelo Instituto Nacional de Reforma Agrária na região de San Ignacio de Velasco. O objetivo é intimidá-los, para que abandonem as terras que aí ficariam com...eles, é claro.

Segundo informações, os racistas da Unión Juvenil Cruceñista agrediram 70 famílias, inclusive mulheres e crianças.

É o tipo de gente que quer derrubar Evo Morales do governo. E que têm a mesma opinião sobre o presidente da Bolívia que boa parte dos brasileiros, para quem Evo também é um “índio de mierda”.

Leia também:

» Vídeo: Racistas bolivianos agridem covardemente um ‘índio de mierda’

» Direita racista boliviana não é solidária nem na tragédia

» Golpistas bolivianos plagiam projeto de Estatuto da Catalunha

» Dois anos de governo Evo Morales. O que você nunca leu


Para votar no Blog do Mello no Ibest clique aqui

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. é absurdo.. Os índios bilivianos deveriam fazer aquela intimidação , onde cortava a cabeça de cachorros, só que em vez de cachorro poderia ser a cabeça desses burguesinhos de merda bolivianos..

    ResponderExcluir
  2. Mello olha o blog do Caio Cristiano, Edir Macedo quer censurar youtube e orkut
    blog www.democraciajusticaliberdade.blogspot.com
    DEMOCRACIAJUSTIÇALIBERDADE

    ResponderExcluir
  3. Mello, veja só como os elogios à Venezuela vêm por linhas tortas: a Folha publicou uma notícia hoje com o título "Classe média brasileira paga o maior IR da América do Sul". O texto base é este: "A classe média brasileira é a que tem a maior alíquota do Imposto de Renda entre os países da América do Sul. A conclusão é de levantamento realizado pela consultoria Ernst & Young tomando por base o valor salarial a partir do qual o brasileiro começa a pagar a alíquota máxima de 27,5%.
    No Brasil, hoje, essa alíquota é aplicada a quem tem renda mensal tributável acima de R$ 2.743,25. No Chile, essa mesma renda pagaria 5%; na Bolívia, 13%; no Peru, 15%; na Colômbia, 19%; e no Uruguai, 20%. A alíquota mais próxima da paga pelos brasileiros é cobrada na Argentina: 27%. Já na Venezuela a mesma renda estaria isenta, segundo a consultoria."

    Observação: o que a notícia esquece é de mostrar o tipo de serviço público existente em cada uma dessas nações. Lembro que morei no Mato Grosso, perto da fronteira da Bolívia, e lá nem as estradas são públicas. São "mantidas" pelos fazendeiros proprietários das terras por elas cruzadas, que colocam jagunços para cobrar "pedágio" de quem passa no lugar.

    ResponderExcluir
  4. Diego14.3.08

    O programa de maior sucesso na província de Santa Cruz é um humorístico em que dois brancos se vestem de índios e os ridicularizam. Não deve ser difícil de achar algum episódio no Youtube. A questão racial por lá é seríssima.

    ResponderExcluir
  5. Neves30.4.08

    Acesse o endereço:
    http://www.todosconbolivia.org/
    para subescrever adesão.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...