quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Afinal, Kassab é ou não é?


Continua a palhaçada (só posso chamar assim) de colocar grande parte da culpa da derrota de Marta num suposto “erro” de sua campanha, que teria insinuado a homossexualidade de Kassab na pergunta “É casado? Tem filhos?”.

É ridículo! Essas duas perguntas fechavam um leque de outras (Você sabe mesmo quem é o Kassab? Sabe de onde ele veio? Qual a história do seu partido? De quem foi secretário e braço direito? De quem esteve sempre ao lado, desde que começou na política? Se já teve problemas com a justiça?Se melhorou de vida depois da política? É casado? Tem filhos?) e a insinuação de homossexualidade só existe na cabeça dos jornalistas de SP – os únicos que sabem (e sonegam a seus leitores, ouvintes, telespectadores) a orientação sexual do prefeito.

90% dos paulistas (no mínimo) desconheciam essa faceta de Kassab. 100% dos brasileiros, idem.

O erro da campanha (sabemos agora) foi não ter feito uma pesquisa qualitativa apenas com jornalistas (fica aí como sugestão para as próximas campanhas (rsrsrs...)).

No entanto, jornalistas e blogueiros (da esquerda à direita) continuam dizendo que foi uma pisada na bola a insinuação da homossexualidade de Kassab.

A orientação sexual do prefeito nunca esteve em jogo. O objetivo do comercial era provocar dúvidas no eleitor, que o levassem a refletir, antes de votar. Afinal, Kassab é ou não é:

Ligado a Maluf, Pitta, cria do PFL (atual DEM), pupilo de Jorge “Essa Raça” Bornhausen, com processos por enriquecimento ilícito?

E, afinal, qual a função da secretaria de Desburocratização, por que foi criada e quais os critérios que levaram Kassab à escolha do titular da pasta?

A questão da homossexualidade foi colocada para fugir das demais. O pior é que não foi obra apenas da imprensa serrista.

Clique aqui para ler as notícias de hoje do Blog do Mello

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

17 comentários:

  1. Carlos Cunha30.10.08

    Ola,
    Para não dizer que nunca concordei com você, não penso que o motivo da derrota da Marta Suplicy foi a tal propaganda.
    Na parte que eu não concordo com você: também não foi porque só no final da campanha ela usou vermelhor e foi para briga. Foi porque a adminsitração do atual prefeito é melhor do que a dela, mesmo não sendo brilhante. Foi o mesmo motivo da derrota há quatro anos. Mas isso ninguém pode admitir, não.
    Mais uma coisa: Pitta e Maluf são aliados do PT nacional. Ou seja, a pior parte do passado do Kassab é o presente do PT. Mas isso também ninguém fala. A midia critica muito o PT, não?
    Falando em processo, a Marta tem muito mais. Na verdade ela está entre os dez mais neste quesito. Mas também não é importante...
    Na verdade estas coisas só são importantes de se apontar nos outros, ou melhor, nos inimigos do PT.
    Mas, veja pelo lado bom, falar da campanha da Marta afasta o foco do real problema: o governo dela foi bem ruim.
    Um abraço
    Carlos

    ResponderExcluir
  2. Cunha,
    a sua avaliação não bate com a de 49% da população de SP, que, no dia 1 de janeiro de 2005 (quando Marta passou o comando da prefeitura para Serra), achou que foi Ótimo ou bom seu governo. 27% que foi regular. E 24% que foi ruim ou péssimo.
    Quem diz isso é uma pesquisa Datafolha: http://datafolha.folha.uol.com.br/po/ver_po.php?session=72
    Sua avaliação é igual à de menos de 1/4 dos paulistanos e, portanto, não pode explicar a derrota de Marta.

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente Kassab faz um governo muito pior que o de Marta a partir do momento que, contanto com recursos que ela não contava, fez muito menos do que ela.
    Apenas continuou com construções de CEUs, mas com qualidade inferior, retirando atividades culturais e sem implantar os cursos profissionalizantes.
    Tranformou as UBS em AMAs, mas não implantou as especialidades, ou seja, modificou o projeto dos CEUs da saúde para pior.
    No transporte tentou acabar com o Bilhete Único, mas não conseguiu e foi obrigado a integrar com o Metro, conforme já havia sido programado.
    Isso depois de 2 anos de Serra sem fazer quase nada.
    Kassab não ganhou porque fez um bom governo, nem porque a campanha de Marta trouxe à tona algumas de suas características.
    Sem contar que receber apoio de Maluf é muito diferente de ter sido secretário do famigerado governo de Pitta e ter enriquecido durante ele.
    Quem ganhou a eleição foi a campanha difamatória da mídia paulista contra Marta e o PT desde sempre, faça o que fizer.
    Ilusão pensar que iriam dar destaque às perguntas que interessavam em lugar de superestimar a insinuação desnecessária que realmente houve.
    Mas que ele é, alguém ainda tem dúvida?
    Sorte dele não ser do PT.
    Mas deixe ele continuar a pisar na bola com os paulistanos que vai ver só.
    Não vai ter operação abafa que dê jeito.

    ResponderExcluir
  4. Mello, concordo com você. Quanto ao que o Carlos Cunha disse, discordo totalmente. O Kassab não passa de um prefeito medíocre. A Marta foi muito superior ao Kassab como prefeita. O verdadeiro problema da Marta foi ter o vampiro Serra e todo o PIG/PIC contra ela (quanta hipocrisia!, quanta mentira!, quanta manipulação!, quanto diversionismo!, quanta parcialidade!, quanto sectarismo! dessa gente), por um lado, e o conservadorismo, o preconceito, a alienação política e o analfabetismo político de grande parte do eleitor paulistano, por outro lado. O Serra e o PIG conseguiram fazer com que um poste fosse reeleito! São Paulo é tão conservadora, tão alienada politicamente, tão dominada psicologicamente pela mídia mercantil de direita que na última eleição para Presidente da República o Alckmin venceu o Lula! Vejam bem, se dependesse de São Paulo Geraldo Alckmin seria o atual Presidente da República! Pobre São Paulo!

    ResponderExcluir
  5. Mello!

    Adorei a tua análise.
    Também fiquei perplexa quando "jornalistas" de esquerda e direita(sem maniqueísmo) apontaram na mesma direção: a tal sexualidade.
    Pergunto: será que a nossas cabeças são mais "limpas" e leves?
    És uma pessoa da área publicitária.
    Eu... sou leiga e concordo contigo!

    ResponderExcluir
  6. Mello, olha que coisa engraçada que uma tal de Maria Luiza (que certamente trabalha para a assessoria do Kassab) postou em meu blog:

    PRA QUE SERVE A SECRETARIA DE RODRIGO GARCIA?
    Para "facilitar" a obtenção de licenças no Município de São Paulo.
    Exemplo: se você quer obter a licença sanitária para abrir uma farmácia de manipulação, ou uma importadora de artigos implantáveis, ou uma clínica que realiza procedimentos, basta protocolar o requerimento preenchido, contrato social, cartão de CNPJ e a cópia da carteirinha do conselho profissional do responsável técnico, e pronto! Seus dados são inseridos num banco de dados, a sua licença (que em São Paulo se chama CMVS - Cadastro Municipal de Vigilância em Saúde) é publicada no Diário Oficial, e você poderá trabalhar tranqüilamente!
    Com o Decreto 50079/08, publicado no DOC de 08/10/2008, o qual considera os Decretos 49460/08 e 49969/08 (referentes às políticas de desburocratização, promovidas na gestão Kassab) eliminou-se a "burocracia" de inspeção sanitária para concessão dessa licença. Nenhum funcionário competente (autoridade sanitária) vai verificar as condições e recursos destes estabelecimentos, antes de ser autorizado sanitariamente seu funcionamento.
    Onde fica a preservação da saúde da população? Se você ou um familiar seu comprar um medicamento manipulado e ficar mais doente porque a dosagem do princípio ativo foi mal calculada, ou mesmo por falta de qualidade da matéria prima, ou sua mãe recebe um implante e sofre uma necrose, ou se seu tio tomar uma insulina que perdeu a eficácia porque foi armazenada fora da temperatura correta, é uma questão secundária! O importante é que as empresas não percam dinheiro, e comecem a funcionar o mais rápido possível!
    Esta foi uma forma muito simples de se resolver o problema da demora em se obter uma autorização sanitária de funcionamento. A realidade da COVISA (que é o órgão municipal responsável pela fiscalização sanitária) é falta de pessoal, de computadores, etc. A contratação e capacitação de mais funcionários, o investimento em recursos e a implantação de ferramentas informatizadas seria a melhor solução para minimizar a burocracia. Só que investir em recursos e pessoal custa dinheiro. Além disso, não resolve totalmente o problema das empresas, já que uma porcentagem pequena é considerada apta a funcionar na primeira inspeção.
    Inconstitucionalidade:
    A Lei Federal 6360/76 institui a necessidade de duas autorizações sanitárias: uma concedida pelo Ministério da Saúde (atualmente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ligada ao MS), e outra local, concedida pelo Estado ou Município.
    Para a concessão desta licença local, o Decreto Federal 79094/77 (que regulamenta a 6360/76) determina que os estabelecimentos necessitam possuir instalações, equipamentos e aparelhagem técnica indispensáveis e em condições necessárias à finalidade a que se propõe, entre outros requisitos, o que só se comprova por meio de inspeção sanitária e análise de documentos relativos às boas práticas.
    A autorização sanitária local concedida através de uma mera inserção dos dados do estabelecimento em um banco de dados, contraria o disposto em Lei Federal, sendo, portanto, inconstitucional.
    Concorrência:
    Em licitações públicas, uma das exigências feita às empresas é a apresentação de licenças sanitárias atualizadas. Atendendo a estas exigências, o principal requisito passa a ser o preço.
    Numa licitação de um hospital, por exemplo. Quem vai oferecer menor preço? Aquela empresa que sofreu inspeção, e que investiu capital para atender as exigências sanitárias e conseguir sua licença, ou aquela que recebeu a licença apresentando apenas o contrato social, cartão de CNPJ, e a carteirinha do responsável técnico?
    Agora, qual delas realmente garante a qualidade do produto que está sendo adquirido pelo hospital, e que vai ser usado nos pacientes?
    Não existe nada tão ruim que não possa ser piorado!
    A vigilância sanitária do Município de São Paulo é responsável atualmente pelas ações de baixa e média complexidade (ou seja, comércio varejista, comércio atacadista e importador, consultório e clínicas). Por enquanto, quem cuida da alta complexidade (indústria e hospitais) é o Estado. Mas a descentralização das ações de alta complexidade já está prevista. Será que você também vai poder abrir uma fábrica ou um hospital sem inspeção?

    ResponderExcluir
  7. AMERICO31.10.08

    O governo da Marta foi muito bom, tanto que o atual prefeito continua as obras dela; o que houve foi uma persegição implacavel por parte da imprensa, na epoca em que ela era prefeita ficavam mostrando poças d´qgua por duas tres horas e baixando a lenha na prefeita, coisa que se esqueceram de fazer com os sucessores; gostavam tanto de bater que batiam até quando o serviço não era atribuição da prefeitura, quando certa vez se demorava para recolher um corpo na via publica e o locutor baixou o sarrafo na prefeituta até ser avisado que o serviço era atribuição do iml, estadual portanto, aí ele sossegou. Um apresentador dominical famoso conversando com o seu piloto de helicoptero que estava mostrando as enchentes do ipiranga baixou a lenha nas autoridades do momento, o aviador ainda tentou amenizar dizendo que aquilo era coisa de anos de descaso, mas o mesmo continuo nas criticas e confirmou que a culpa era das então atuais autoridades, não me consta que continuasse com os mesmo pensamentos quando o governo mudou de mãos.

    ResponderExcluir
  8. ZéTavares31.10.08

    Perfeita análise Mello. Pra mim, a questão é a ficção prevalecendo sobre a realidade. Há uma grande máquina hollywoodiana eficientemente implantada na vida dos brasileiros e o seu uso industrial faz parte da atuação cotidiana dos grupos de dominação econômica. A verdade sobre o Kassab (e sobre tudo) não prevalece, e nem parece interessar, diante do inescrupuloso e rentável mundo da novela midiática. Abraço.

    ResponderExcluir
  9. É muito difícil conviver com uma mídia tão comprometida. Todo cidadão brasileiro deberia refletir sobre isto e mobilizar-se, participar do debater sobre as alternativas para se democratizar a mídia. Neste momento, há um movimento para a realização da conferencia nacional de comunicação importantíssima.
    A Marta sofreu ataques da midia paulistana que poucos suportariam. Por outro lado, a mídia paulistana (e a nacional em menor escala) esconde os fatos negativos dos governos demotucanos e carrega nos aspectos positivos, muitas vezes criados e maquiados, fazendo clara propaganda.
    Apoio sua análise, Mello. Especialmente na sua indignação pelo fato de haverem participado e ecoado a tese do PIG alguns partidários, intelectuais e jornalistas.
    Mais uma vez a tática de sempre: fazer barulho para não se discutir o cerne da questão.
    O dossie das sanguessugas não faz muito tempo...

    ResponderExcluir
  10. Mello,
    Na minha opinião, a Marta perdeu porque não apresentou um programa para a megalópole. Ficou falando em internet de graça, o que não seria uma idéia ruim, mas convenhamos que a megalópole tem problemas gravíssimos que vêm primeiro. Quem tiver um plano para planejar os espaços da cidade, conter a especulação imobiliária, aumentar os espaços públicos em detrimento da área construída, para o transporte urbano - metrô e trens - ganha uma eleição para prefeito nesta cidade (faixa de ônibus é só um paliativo, não é solução longo prazo). Claro, +saúde, +educação e +segurança.
    E era da Marta que se esperava que se abordasse esse tema com seriedade, e ela vinha no topo das pesquisas. Mas para isso não aconteceu, e olha que ela teve anos pra se preparar. O outro candidato... pior, dali nada se esperava nem se espera. A ausência de candidatos de qualidade condena a megalópole a continuar sendo o túmulo do samba por mais quatro anos pelo menos. Quem sabe a sociedade produz um candidato melhor da próxima vez?

    ResponderExcluir
  11. Carlos Cunha1.11.08

    Ola novamente,
    Desculpe a demora em responder, mas só agora pude passar no seu blog.
    Interessante você ter lembrado desta pesquisa, pois na época ela chamou a atenção – inclusive prolongou o choro dos petistas. Veja no próprio link que você postou que a avaliação dela aumentou vertiginosamente no final da sua administração. Alguns petistas usaram isso para manter este discurso – que já existia na época – de perseguição da mídia e outras coisas e diziam que, acabada a eleição e a propaganda, a população acordou para a administração Marta.
    Penso diferente: primeiro porque só um alienado acha que a opinião pública se liga ou desliga em um mês. Segundo porque ela foi incapaz de brigar com o Serra pela prefeitura – a eleição do Serra foi mais tranqüila do que a do Kassab, apesar de numericamente menor. Terceiro, porque a cidade foi abandonada nos meses posteriores a derrota: lembro dela em Milão xingando um repórter que perguntou se ela não devia estar cuidando das enchentes nos túneis que construiu. O que talvez responda esta questão é a continuação do título do Datafolha: “Para 61%, cidade está melhor hoje do que antes da posse da prefeita”. O Datafolha passou a comparar a administração petista com a do Pitta e assim, criou um parâmetro para regular, ou seja, o Pitta. Na época se questionou se os entrevistadores faziam esta pergunta antes ou depois da avaliação.
    Porém, mais importante: se ela era tão bem avaliada porque não foi capaz de ganhar uma eleição depois disso? Talvez porque, na comparação do que fez com o que o Serra pretendia fazer ficou claro os problemas de sua gestão.
    Agora, uma lembrança: na época morava em São Paulo e duas semanas antes das eleições, estranhei que o SPTV passou uma reportagem mostrando vacas andando pela Zona Leste de São Paulo durante 8 minutos. Mudando de canal, estava acontecendo uma praça de guerra no centro da cidade entre camelos e a guarda municipal. O PIG achou melhor não mostrar a truculência da prefeita – truculência mais do que justificável – e mostrar vaquinhas. Este PIG não dá folga...
    A gestão Marta teve um erro muito grave: sua gestão financeira. Ela modificou um imposto, o IPTU nas suas duas formas de cálculo – atualizou a planta geral de valores, ou seja o valor de cada imóvel e a alíquota. Isso gerou um enorme descontentamento na classe média baixa, pois manteve ou elevou o quanto pagava de IPTU e aumentou a inadimplência.
    Para piorar, não soube explicar suas taxas, principalmente a do lixo, que foi uma ótima iniciativa. Ou seja, criou mais tributos e não teve um aumento significativo de arrecadação. A administração Serra e Kassab fez exatamente o inverso, inclusive diminuindo a carga tributária de quem pedisse nota fiscal e aumentando a fiscalização de quem não pagava ISS. Quando na campanha a Marta falou em tributos ela negou tudo o que fez e prometeu acabar com alguns tributos. E pior, tentou colocar no Kassab a etiqueta de criar do tributos o que não foi verdade. Para coroar, colocava como demérito dele ter tido mais dinheiro para gastar, sem explicar que isso se deveu aos méritos dele e incompetência dela.
    Mas o mais importante está na incapacidade de defender sua gestão. Chamar o oponente de papagaio porque repetia tudo o que ela fez foi uma piada de muito mal gosto político. Deveria ter feito como uma comentarista deste post: fez mais e melhor, mesmo que não fosse verdade. Ela fez o bilhete único, que teve um boicote do governo do estado. Ela fez os telecentros, uma iniciativa brilhante, mas que, repentinamente, foi esquecida. Não entendia o porquê até que um amigo da PT explicou: a idéia já existia no governo do estado, que também tinha centros de informática em São Paulo; quando a Marta começou a fazer propaganda havia um centro estadual para cada municipal. Cinco meses depois a relação era de 4 para 1. Assim o PT achou que faria propaganda do outro e vinculou a idéia aos CEU’s.
    E tem os CEU’s. Não vou dizer que fazer CEU é desviar dinheiro da educação – ela mudou a lei orgânica do município para poder fazer isso, mas também o PIG nada falou. Na atual campanha ao invés de dizer que o prefeito tem um CEU atrasado ou que eles são piores, ela deveria inserir os CEU’s num contexto educacional, coisa que nem ela, nem o Kassab fizeram. Neste caso, ela diria que seria o próximo passo. Mas como ela não tinha um projeto definido – ou pelo menos não mostrou – ela se limitou a falar no ensino profissionalizante.
    Já falei demais, mas uma coisa eu penso ser importante: faça uma tabela – não vale peguar no site do PC do B – entre a administração Kassab e Marta comparado o número de vagas em sala de aula, de escolas de lata, de vagas em creches e de leitos hospitalares e em postos de saúde. Coisa simples: matemática para comparar obras em educação e saúde.
    Um abraço
    Cunha, mas você pode me chamar de Carlos.

    ResponderExcluir
  12. Expresso a minha indignação com os eleitores paulistas.

    ResponderExcluir
  13. Concordo contigo Mello. É preciso desconstruir essa tremenda manupulação dos fatos.
    Não se pode falar de corda em casa de enforcado. Até um mero "Acorda, gente!" vira um rebuliço homérico em mentes paranóicas e projetivas. Foi o que aconteceu.
    A imprensa fez o joguinho sujo de sempre: pegou uma marola e a transformou em tsunami, surfou no factóide da vez, destilou veneno e fofocas por todos os lados e ainda mandou a conta para o PT e para Marta.
    The point is: Desde quando perguntar a um homem público se ele é casado e se tem família é "acusação" de homossexualidade? Eu e toda a torcida do Corinthians, do Palmeiras, do São Paulo e da Seleção Brasileira só decodificamos neste sentido APÓS a mídia fazer o escarcéu que fez. A pergunta tinha um contexto que foi subtraído (o conjunto das perguntas) e um pano de fundo ( que foi a recomendação do TSE de votar com consciência, se informando bem sobre os candidatos)que foi intencionalmente desconsiderado.
    Se Kassab fosse SUJEITO de sua estória (e não a vítima da malvada Marta e do terrível PT, como querem vender) teria respondido com naturalidade: "Não, sou solteiro." "Ainda não encontrei o amor de minha vida". "Sou tão dedicado à Prefeitura de S. Paulo que não tenho tempo para namorar". Ou o que for. Fim de papo. As mocinhas casadoiras de DEM suspirariam de emoção. Essa seria a pergunta, do ponto de vista político, mais inóqua e fácil de ser respondida, das que foram feitas. As outras é são elas!
    Todos sabem muito bem que encarar a homossexualidade como fonte de vergonha e de descrédito não faz parte da trajetória da Marta, nem das bandeiras do PT. Marta tem projeto tramitando no Congresso pela união civil dos homossexuais, e Lula, há poucas semanas , defendeu na TV, abertamente, a união civíl, e disse com todas as letras que se um político não se importa em receber imposto e voto de homossexual, devia, também, respeito e apoio à causa dos gays e se posicionar contra os preconceitos e a hipocrisia.
    Todos sabem, igualmente, quais são as forças políticas que jogam galinha na Marta, colocam no site nacional do seu partido um artigo intitulado D. Marta e Seus 2 Maridos, e fazem inúmeras referência a ela como D.Marta (personagem feiosa e tarada do Angeli).O tempo todo tratam a Marta como se ela fosse a Maria Madalena da política brasileira.E nada disso causa indignação ou protestos.
    Inverter, por interesses políticos-eleitorais, as posturas não tem o menor cabimento. Foi a mídia, de mãos dadas com a campanha do Kassab, que tratou a homossexualidade como fonte de vergonha e descrédito, uma "acusação vil". "Eu não, tem um monte de mulheres querendo casar comigo". "Golpe baixo da Marta". Em nenhum momento eu escutei "repilo qualquer tipo de preconceito". Não é preciso anunciar a própria orientação sexual para declarar-se contra o preconceito. Mas eles não ousam dizer isso, assim como não ousam votar na favor do projeto para legalizar a união civil entre pessoas do mesmo sexo.
    Claro que não foi isso que fez perder a eleição. Mas com certeza foi mais um ataque sórdido à biografia da Marta a ser reinterado infinitas vezes daqui pra frente até virar uma verdade incontestável. Não podemos esquecer: apesar de tudo, e de todas as forças do atraso reunidas, Marta teve 2.452.527 votos. Um patrimônio político inestimável. Cabe agora zelar por ele e fazê-lo crescer e frutificar.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo2.11.08

    Afinal de contas ele é ou não é?!?!

    ResponderExcluir
  15. Ainda fico triste de saber que para cada pagina que olho, para cada som que escuto, para cada programa que assisto tem algo distorcido.
    E o pior é que fui ensinado a não mais chorar.
    Tudo é natural.
    Meu corpo foi programado a não agir.
    E parado ainda fico triste com tanta manipulação, com esse joguinho de interesses.
    Dentro de tanta inércia vejo o mundo vegetando criando raízes em algo irreal.
    Mas a tortura já não basta...
    É importante que penetrem em cada mente.
    E ate a sensibilidade é fraqueza.
    Ainda fico triste com meus heróis fumando,bebendo,roubando,matando,banalizando tudo...

    ResponderExcluir
  16. Renata4.11.08

    A derrota da Marta aconteceria mesmo 100% dos eleitores votando nela. O Kassab sairia vitorioso do mesmo jeito, assim como Serra sairá em 2010, se não fizermos nada para mudarmos o sistema de urnas que reina no Brasil.

    ResponderExcluir
  17. Não quero pegar o bonde andando e sentar ao vento,....mas se a mídia quiser que uma putanesca qualquer seja presidente da república, duvido que não consiga.
    No caso de São Paulo deve ter sido isso que aconteceu, porque aqui em Curitiba,.... um dos maiores salafrários de todos os tempos derrotou uma pessoa que todos sabíamos que era gente boa. Porque a globo é contra o pmdb e o pt.
    Aliás essa rede de televisão é uma das que seus apresentadores insistem em dar opinião sobre tudo, dão até receitas de como ser feliz (isso no jornal do meio dia, se duvidar no da noite também) como que ensinando o povo, ahahahah!!! Juro que outrora nunca tinha visto isso.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...