quinta-feira, 4 de junho de 2009

Pela liberação das drogas


Lagoa Rodrigo de Freitas em forma de coração

Sou um privilegiado. Moro num dos lugares mais lindos do mundo, a Lagoa Rodrigo de Freitas, que forma esse coração que você vê na foto.

Pois na semana passa, logo cedo, começou um vai-e-vem de helicópteros da polícia, num barulho enlouquecedor, em mais uma batalha com traficantes do Pavão-Pavãozinho. Troca de tiros, o diabo.

Mais tarde, quando desci para ir a algum lugar, vi uma cena inusitada: um helicóptero transportava alguma coisa pendurada por um cabo de aço. Imaginei que se tratasse de armamentos ou drogas apreendidos na tal batalha. Mais um tempo, e outro helicóptero (ou o mesmo) carregava nova carga semelhante, como se fosse uma múmia enrolada num saco verde escuro.

Mas não era de drogas ou armas que se tratava. Eram dois corpos de pessoas mortas na guerra passeando pela Lagoa Rodrigo de Freitas, em direção ao heliponto.

Até que ponto teremos de chegar para que se verifique que essa luta contra o tráfico de drogas é de uma estupidez atroz, como foi a lei seca nos EUA? Só favorece a corrupção policial, política, o lucro fácil dos especuladores com as operações para lavagem de dinheiro; a indústria bélica, com armas cada vez mais poderosas e caras.

Tem que liberar geral. Maior de idade, fuma quem quer, cheira quem quer, bebe quem quer. Campanhas de conscientização dos malefícios devem ser feitas. Clínicas para recuperação dos viciados, idem. Tudo isso vai ficar muito mais barato que o que se gasta em dinheiro e vidas nessa batalha insana.

Só não sou a favor da liberação de drogas pesadas como os discursos de Álvaro Dias, Arthur Virgílio, Heráclito Fortes, Agripino Maia e Jair Bolsonaro (se esqueci de alguém, colaborem no comentário). E, repito, Gilmar Bacamarte trancadinho lá na Casa Verde.

Clique aqui e receba gratuitamente o Blog do Mello em seu e-mail

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Anônimo4.6.09

    É Mello, parece que os EUA estão começando a discutir o assunto de maneira mais séria.

    ResponderExcluir
  2. ZéTavares4.6.09

    Voltou com tudo Mello, parabéns.
    Chega de hipocrisia e de corrupção!

    ResponderExcluir
  3. Tony (Florianopolis)4.6.09

    Mello, na prática é inviável..
    Já imaginou uma festinha de "bacanas" regada a drogas e na saída cada um pegando seu carro?
    Ou a torcida do Corinthians depois de uma vitória saind para festejar com seus adversários? ou depois de uma derrota também para "festejar"?
    Ou numa discoteca ou rave ou num show da Tati "quebra-barraco"?
    Com as nossas leis? e com a imunidade correndo solta?
    Esquece, essa idéia não foi boa.

    ResponderExcluir
  4. Tony, tudo isso que vc falou já acontece hoje. Nada impede que essas coisas não aconteçam nos dias de hoje. Estamos vivendo num verdadeiro liberou geral das drogas, nenhum controle efetivo é feito.

    Tem mais, Tony, nao é só em festa de "bacana" que se consome drogas ilícitas. Até por que, vivendo num pais onde mais de 90% da população ganha menos de 1300 reais, fica difícil imaginar que são os abastardos que sustentam esse imenso mercado ilegal.

    Vamos aprender com a Lei Seca Americana, vamos aprender com a história.

    ResponderExcluir
  5. Fico tão bem quando encontro pessoas que pensam como eu, em relação a liberação das drogas.
    Chega de violência, falso moralismo e hipocrisia !

    ResponderExcluir
  6. Puxa, Mello, penso a mesma coisa. E posso falar coma autoridade de quem nunca fumou nem um cigarro! Os bilhões da segurança pública poderiam ser investidos em melhoria da qualidade de vida da população: mais creches, mais escolas, mais hospitais. Isso sem contar nos impostos que podem ser arrecadados com a circulação da mercadoria e os lucros das empresas que efetuassem a comercialização. Estou farta destes argumentos que dizem que o mundo vai acabar, vai ser uma bagunça, etc. Sabe o que vai acabar? a fortuna de muito gente boa ( quer dizer, má) que vive de matar a cada dia seres humanos. Fuma-se maconha, crack, cocaína, ecstasy em vários locais publicos e não acontece nada - são pobres viciados. Enquanto isso, comunidades inteiras são reféns de traficantes e o dinheiro de nosso imposto escorre para a bolsa dos vendedores de armas e caveirões. Gostaria de ver a grana que pago em imposto alimentar as crianças e os idosos sem recursos, ver escolas lindas ensinando conforme a maravilhosa herança de Paulo Freire. Hospitais e postos de saude onde a dignidade humana é respeitada. O resto é opção de cada um. Menos individualismo e mais coletivo!

    ResponderExcluir
  7. Sofista6.6.09

    Na minha cidade, com 1,5 milhão de pessoas, passo todos os dias por grupos "normais" fumando o seu baseado.
    Fumam como se cigarro lícito fosse.
    Droga é droga.
    Tanto as lícitas como as ilícitas.
    Quem é "fraco" para viciar que não comece.
    Qualquer vício faz mal para a saúde.
    Sou a favor do livre arbítrio.
    Tem pílulas "inocentes" para dormir passadas por médicos.
    Concordo contigo Mello.
    Pelo fim da hipocrisia e dos falsos moralistas: liberação JÁ!

    ResponderExcluir
  8. Também tenho sido a favor da liberação das drogas, mas leis têm que ser criadas para evitar que desastres aconteçam e levem vidas inocentes. Refiro-me aos exemplos comentados pelo leitor Tony.

    O usuário de droga tem que ser cadastrado e perder o direito à carteira de habilitação.

    Perderia também o direito a ser atendido pelo sistema público de saúde, excetuando-se, claro, as clínicas de reabilitação.

    Seria impedido de se aposentar por invalidez.

    Creio que essas idéias são inconstitucionais e jamais virariam leis.

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que o uso não deve ser criminalizado, mas sim a consequência do uso. Hoje não temos uma lei que, se o indivíduo for pego dirigindo embriagado, ele vai em cana? com certeza isso deve valer também para os indivíduos drogados que cometerem crimes em consequência do uso de drogas.

    ResponderExcluir
  10. Tony7.6.09

    Antes de ser mal-interpretado, gostaria de esclarecer que a ideia do Mello só seria viável num mundo ideal, utópico, em que funcionassem as leis, houvesse respeito pelas normas de convivência e os bons costumes e que o cidadão fosse ciente de suas responsabilidades. E que por isto torna-se inviável.
    No Brasil, tenho sérias dúvidas. Como diria o Juiz De Sanctis, "não adianta acreditar que somos um pais civilizado, pois não somos". Mesmo assim, que viciado sob efeitos de drogas age racionalmente e respeita as leis? teríamos então uma área cercada, um "fumódromo" em que as pessoas ficariam sob custódia até passar o efeito do alucinógeno?
    O ser humano, por principio e natureza, necessita de ordem e disciplina.
    Sou a favor também da livre escolha. Por exemplo, gosto muito de açucar apesar de saber do seu feito danoso à saúde. Porém a minha adição ao mesmo não me leva a agir irracionalmente e assaltar um supermercado para ficar dias e dias satisfazendo meu desejo.
    Longe está de gerar violência.
    Mas existe um percentual (pequeno, ainda bem) que não conhece os seus limites com leis ou sem elas. Porém num estado leniente, omisso e paternalista isso pode ser perigoso.
    No entanto, aos que são a favor da liberação das drogas, como reagiriam ao ser confrontado familiarmente com a questão? Já pensou um filho se reunindo com os amigos para fumar um crack na sala e ao ser questionado pelo pai responder: "e dai, não estou fazendo nada ilegal?"

    ResponderExcluir
  11. Nada deveria ser proibido Mello, drogas, torcidas organizadas. Os excessos são problemas da policia e da justiça. No Ceará o conselho tutelar que apreender crianças e adolescentes que circularem nas ruas após as nove da noite sem os pais. Um retroscesso que vai de encontro ao direito de ir e vir. Eles são sujeito de direitos. Por que não apreendem os criminosos. Soube que o M.Público de são Paulo quer proibir duas torcidas em um jôgo. Isso é inconstitucional. Se há violencia que achem uma maneira de punir os violentos, até por que é muito comum brigas entre facções da mesma torcida. Amanhã farão um segundo turno de eleições em dois dias para separarem os eleitores. Toda dicotomia gera intolerância. Torcedores tinham de ser misturados e a polícia garantir uma cutura da mistura saudavel.

    ResponderExcluir
  12. Amigo Tony,
    não confunda alho com bugalho... açucar pode até te deixar diabético, mas não compare o uso indiscriminado da sacarose com droga; péssima analogia !
    Ninguém tá falando de mundo ideal, isso só existe nos livros. Mas estamos falando de fatos, ou seja, seres humanos consomem drogas desde que habitam esta Terra, e isso nunca mudará !
    Na sociedade "civilizada" contemporânea faz-se preciso políticas que controlem esse uso, logo a questão é permitir o direito das pessoas consumirem o que desejarem, mas punir adequadamente os atos criminosos que eventualmente possam ocorrer em virtude do uso de seja qual for a substância consumida.
    Seu discurso me deu a impressão que vc está pouco familiarizado com os efeitos do consumo de drogas. Nenhum pai em sua completa razão permitirá que seu filho fume crack, seja na sala ou no quarto, seja isso legal ou não. Nenhum pai quer ver sua filha perder a virgindade com qualquer muleque com a cara cheia de espinha, mas eventualmente ela dará... e não há nada que ele possa fazer. Assim como nenhum pai quer ver seu filho embriagado, mas eventualmente ele verá.
    O que faz as pessoas consumirem drogas não é o fato de serem legais ou não, mas outras demais razões. A repressão familiar ou policial tem seus limites, ninguém quer viver sob vigilância, e o uso indiscriminado de drogas já é um fato... no meu ponto de vista, a coisa não ficará mais perigosa de for liberado. Vai ficar mais fácil, mas não significa por exemplo que vc que é contra o liberação vai chegar na farmácia e comprar um pó de vinte reais só porque agora é permitido... ou vai ?!
    Assim como existem remédios (drogas) de tarja preta, existem drogas que são de alta periculosidade, o crack por exemplo !
    Um exemplo clássico de droga leve é a maconha, qualquer ser vivo pode conferir pelo simples bom senso que maconha não causa alucinação e não tem o poder de mudar o caráter das pessoas assim como o álcool tem. É simplesmente uma idiotice maconha ser proibida !
    Não se trata de liberar geral, mas criar um leque maior de drogas lícitas... ao meu ver seria possível legalizar a maconha, a cocaína e os sintéticos como ecstase e lsd. Alguém discorda da lista ?!

    ResponderExcluir
  13. Essa questão das drogas é um dilema e penso como Milton Friedman:a droga é um problema moral, posso mesmo pretender que é a mão invisível de Adam Smith que não benze a água só na intensão da cura, mas sim para evidenciar o poder milagroso da mão invisível.
    leila aquino

    ResponderExcluir
  14. Anônimo18.6.09

    SOU A FAVOR DA LIBERAÇÃO POR UMA SIMPLES RAZÃO: TORNARIA O "EXCELENTE NEGÓCIO" DO TRAFICANTE BANAL (A OFERTA EM FARMÁCIAS DERRUBARIA O PREÇO), O QUE REDUZIRIA O SEU INVESTIMENTO NESSE "MERCADO" E NO DAS ARMAS (DESNECESSÁRIAS POR NÃO HAVER MAIS CONCORRÊNCIA POR EXCLUSIVIDADE E CONFRONTO COM A POLÍCIA) ASSIM COMO A ATRAÇÃO E O "ALISTAMENTO" DE JOVENS PARA SERVIÇOS AGORA NÃO TÃO "BEM REMUNERADOS". BAITA IDÉIA!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.