segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Quando o Flamengo vai tomar vergonha na cara e respeitar sua torcida?


Todo mundo que me lê sabe que sou botafoguense. Mas também sabe de minha imensa admiração pela torcida do Flamengo, que enalteci aqui e aqui. Por isso não me conformo com o tratamento que o C.R. Flamengo dá aos flamenguistas.

É injusto a diretoria de um clube causar sofrimento aos torcedores do time, papel que antigamente cabia ao meu Botafogo. Hoje não. O Botafogo só dá alegria aos urubus, que penam na mão de sucessivas diretorias.

Hoje, p ex, leio no Globo que diretores do Fla foram ao Rio Grande do Sul para conversarem com Assis, irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, para um acerto de contas. Não deveria ser o contrário, o empresário do jogador viajar ao Rio para negociar com a diretoria da maior torcida do Brasil?

Quando é que vão por ordem na casa e eleger um presidente e uma diretoria que respeitem a torcida do Flamengo? Quando os urubus voltarão a sofrer apenas com as derrotas diante do Botafogo? (Repararam na foto que ilustra a postagem que o urubu na verdade é preto e branco? rsrs)

Ou será que é isso mesmo que a urubuzada quer?

Para os amantes do futebol, espero que a ordem natural das coisas seja restabelecida e a verdadeira história do futebol volta a imperar.

A Verdadeira História do Futebol:

Vamos parar com esse negócio de dizer que os ingleses inventaram o futebol. Basta vê-los jogar para perceber que isso não tem fundamento. O que os ingleses inventaram foram as regras do futebol, o que é bem diferente.

O futebol mesmo nasceu no Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro, em 1904, com a fundação do Botafogo.

Quando o glorioso Botafogo foi fundado, em 1904, iniciou-se aquilo que conhecemos como futebol. Antes, rudimentos desse esporte eram praticados em várias partes do mundo - inclusive no Brasil. Mas só a partir da criação do Botafogo é que o futebol passou a ser esse esporte que conhecemos.

Dois anos após sua fundação, o Botafogo participou de seu primeiro campeonato. O resultado não poderia ser outro: campeão carioca de 1906. A partir daí, o Botafogo continuou desenvolvendo o estilo brasileiro do futebol, que encontrou paralelo, mais adiante, no Santos Futebol Clube, no estado de São Paulo.

Assim como no teatro e nas artes existe a disputa apolíneo X dionisíaco, Santos e Botafogo representaram essas duas correntes no futebol. O Botafogo, Dionísio. Santos, Apolo. O aprimoramento desses estilos desenvolvidos pelos dois clubes fundadores do jeito brasileiro de jogar futebol alcançou seu ápice no final dos anos 50, início dos 60.

Dois nomes foram representativos daquilo que se pode considerar como o apogeu do futebol brasileiro: o dionisíaco Mané Garrincha, pelo lado do Botafogo, e o apolíneo Pelé, pelo Santos.

As seleções brasileiras campeãs mundiais de 58, 62 e 70, tinham como base essas duas equipes. E o mundo inteiro se encantava com o futebol mágico do Brasil.

A partir daí – em denúncia que teve em Nelson Rodrigues um de seus principais formuladores – o futebol brasileiro (na realidade, “o futebol”), deixou-se influenciar por teorias alienígenas, que podem ser resumidas na expressão “futebol de resultados”, que veio a acabar com o futebol, transformado hoje num frio espetáculo televisivo.

[do meu Blog do Mello na Copa, que criei e mantive apenas durante a Copa do Mundo de 2006]

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Aqui, comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...