quinta-feira, 6 de março de 2008

O Globo contra Kamel: Reportagens de O Globo contestam artigo do diretor de jornalismo da Rede Globo


Na contramão do artigo de Kamel, publicado no dia anterior, O Globo de ontem publicou reportagens de mais de meia página, mostrando que o Bolsa Família não é um programa para matar a fome, como erroneamente afirma o diretor de jornalismo da Globo. Isso mostra que o Ratzinger da TV não está com essa bola toda no jornal das Organizações Globo. Uma contestação como essa não aconteceria na TV Globo.

Numa das reportagens, a secretária Nacional de Renda e Cidadania do MDS, Rosani Cunha, admitiu que beneficiados pelo programa utilizam-se dos recursos para comprar eletrodomésticos, o que não é proibido pelo programa, e que isso, ao invés de ser criticado (como o foi por Kamel), deveria ser elogiado.

— A família tem autonomia para usar o recurso do Bolsa Família como quiser. Pesquisas do ministério apontam que a maior parte do dinheiro é usado para comprar alimentação. Quem melhor sabe como alocar esses recursos, melhor aproveitá-los, é a própria família. É dinheiro seguro para o orçamento doméstico. Se está permitindo compra de eletrodomésticos, que bom. O país deveria aplaudir.

A secretária lembrou que “o programa existe também para eliminar a pobreza entre gerações e, por isso, exige o cumprimento de contrapartidas como a freqüência escolar”.

A outra reportagem eu reproduzo na íntegra, a seguir. É da repórter Letícia Lins. É para que você veja como está sendo feito esse uso abusivo do Bolsa Família.

Mulheres usam dinheiro para comprar TV, beliche e material de construção


AGRESTINA, PE. Aos 37 anos, a lavradora Mércia Josefa da Silva não sabe quantas colheitas de feijão e milho já perdeu devido às secas que assolam o Agreste de Pernambuco. Ela diz que a estabilidade financeira da família chegou com o Bolsa Família por causa dos dois filhos menores, Bruno Eric, de 12 anos, e Carolaine Evelyn, de 8: R$94 mensais. O dinheiro paga a cesta básica, o material escolar, e permitiu que economizasse uns trocados para comprar uma televisão em cores, depois de usar por três anos uma emprestada pela sogra.

— Sem a bolsa eu não conseguiria economizar, pois o dinheiro que tiro da roça só dava para a comida. Nem mesa eu tinha para comer. Depois do Bolsa Família, consegui comprar uma mesinha e a TV — conta ela, que mora na área rural de Agrestina, a 154 quilômetros da capital.

Ela diz que passou cinco anos juntando dinheiro, até que reuniu R$480 sob o colchão. Comprou a TV à vista. Agora pretende melhorar a casa de quatro cômodos, chão de cimento batido e com banheiro externo:

— Sonho em fazer o reboco e construir um murozinho.

Os outros eletrodomésticos que Mércia tem são anteriores à inscrição no programa social do governo: um aparelho de som, um liquidificador velho e uma “geladeira caindo de velha”, diz.

Salomé Maria Pereira da Silva, de 34 anos, três filhos, também conseguiu comprar bens com os R$112 mensais da bolsa. Ela trabalha no roçado, mas é o dinheiro do programa social que lhe garante a comida na mesa, a roupa das crianças e até a próxima sandália que vai comprar (a única que tem está quase se partindo). Ela conta que ainda sobrou para que ela comece a realizar o maior sonho: fazer um banheiro dentro de casa. O atual é um barraco, uma “loninha” no fundo do quintal. Ela já comprou cimento, cerâmica, tijolo e chuveiro. Vai continuar juntando para pagar o pedreiro.

— Sem o Bolsa Família, o dinheiro não dava nem para comer — diz Salomé, que tem todos os filhos na escola.

Maria José da Silva, de 32 anos, quatro filhos, recebe a bolsa há cinco anos. Recebe R$142 mensais, com os quais comprou um beliche para os filhos, que dormiam ou com ela em redes ou colchões pelo chão.

E você, o que acha? Kamel está certo ao criticar o uso de recursos do Bolsa Família para a compra de eletrodomésticos (e também uma mesa para comer, uma sandália, para substituir a que está se partindo, material de construção, para construir um banheiro em casa, beliche...)?

Leia também:

» Diretor de Jornalismo da Globo, Ali Kamel quer a remoção das favelas?

» TV Globo de São Paulo pode voltar a antigos donos

» No Jornal Nacional, cratera do metrô de São Paulo pariu um bebê

» Se é do governo, Jornal Nacional critica

imagem RSSimagem e-mail

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Dessa vez o ato de "testar hipoteses" parece ão ter dado um om resultado, e a midia "democratica" foi obriada a abafar o caso, tendo que (aleliiiiaaaaa) admitir o proprio erro, antes que o fogo se alastrasse. Simples assim.
    O lado ruim dessa historia é que ainda não ouviram/leram a sugestão de nosso amigo Mello, e ao troaram suas tvs por computadores. POr isso, INCLUSAO DIGITAL JÁ!!!

    ResponderExcluir
  2. POis é Mello,

    Tem gente que ainda quer tirar esse direito das pessoas. Direito de ter uma mesa pra comer quando Kamel deve gasta num restaurante mais que 3 bolsas famílias, direito a um saco de cimento enuanto Kamel deve gastar 800 sacos pra reformamr sua banheira de hidro. É impressionante como uma pessoas que faz de tudo pra acaber com este benefício ainda consegue colocar a cabeça pra dormir sem achar q n fez nada.

    ResponderExcluir
  3. Cafu6.3.08

    Quem canta seus males espanta:

    " Os lucros são muito grandes,
    E ninguém quer abrir mão, não.
    Mesmo uma pequena parte
    Já seria a solução
    Mas a usura dessa gente
    Já virou um aleijão.
    Ôôô , ôô
    Gente estúpida
    Ôôô , ôô
    Gente hipócrita".
    Gilberto Gil- Nos Barracos da Cidade

    ResponderExcluir
  4. Kamel não merece crédito algum, mas como alerta o grande Altamiro Borges: é preciso sempre vigilância a esses indivíduos truculentos e pouco cidadãos.

    O olhar de (Aquém*)Kamel é tão grotesco (e racista, nunca nos esqueçamos disso) que é bom ter pessoas como você com estômago pra lê-lo e com humor e competência pra desmenti-lo.
    Abraços
    Conceição Oliviera

    PS. Mello, não é Ali, Acolá, não, é Aquém, mesmo, aquém da realidade vivida e sofrida desse povo tão batuta que é o nosso e que, apesar dos kamelos da vida, resiste.)

    ResponderExcluir
  5. Anônimo7.3.08

    Deixe o barba trabalhar o analfabeto o cachaceiro o que não sabe se expressar porém deixe-o ajudar essa gente forte esses cidadãos brasileiros que passaram quinhentos anos de angustia e sofrimento vendo seu trabalho pago com migalhas por esses bandidos coronéis: (psdb,pmdb,pp,pfl-demo-nio e outros como fiesp sob o mando desses canalhas.....: agripinos sarneis,fchs, virgilios acms netos, bourausens e tantos outros picaretas juizes que acorbertam e protegem esses canalhas.
    como me identifico com esse barba não na sua sabedoria no seu carisma mas sim na sua missão de tornar um país Para Todos Justo e Fraterno........

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

ENFRENTANDO O GOLPE 

A mídia corporativa e o governo golpista querem sufocar os blogs e sites de oposição ao golpe. Precisamos do seu apoio, da sua assinatura, e também do seu engajamento, nos ajudando a divulgar nossos blogs e sites de oposição ao golpe nas redes, republicando nossas postagens, distribuindo conteúdo para amplificar o alcance de nossas críticas.

Assinar é muito fácil, é só clicar numa das imagens, Doar ou Assinar. Todos os cartões de crédito são aceitos



Se preferir, você pode fazer sua doação diretamente na conta do Blog:

Banco Bradesco
Pipa Produções Artísticas Ltda
CNPJ: 10585813/0001-44
Agência 0213
Conta 8035-7
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
O Blog do Mello, enquanto não consegue se sustentar apenas com assinantes, precisa de anunciantes, e você utiliza um bloqueador de anúncios.
Por favor, desative o bloqueador para o Blog do Mello. Obrigado.